Dedicação à comunidade e independência há 57 anos

ANIVERSÁRIO DO NG

Dedicação à comunidade e independência há 57 anos

Jornal surgiu no dia 13 de janeiro de 1966. Pessoas que passaram pela empresa relembram momentos marcantes

Por

Atualizado sexta-feira,
13 de Janeiro de 2023 às 18:51

Dedicação à comunidade e independência há 57 anos
Sede atual fica em frente à Praça Menna Barreto (Foto: Marcelo Grisa)
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O que começou por um grupo de amigos e de voluntários, se tornou parte da história do município. O Jornal NG – Nova Geração completa, nessa sexta-feira, 13 de janeiro, 57 anos da primeira edição.

Um dos fundadores, Adonis Fauth, conta que tudo começou com um pequeno jornal de 1965, chamado “O…”, escrito dessa forma, com três pontos. Produzido por Rudolfo Maria Rath, circulou apenas naquele ano. A última edição avisava do encerramento das atividades.

Naquela semana, perto do fim do ano, Adonis encontrou-se com outros quatro amigos em um bar na Rua Coronel Flores. Eram: João de Queiroz; Astor Hauschild; Rosemarie Neurerer; e Euds Furtado. Eles decidiram, então, fazer com que a cidade continuasse a ter um jornal. Fariam isso eles mesmos. “Não tínhamos nada. Eram muitas ideias na cabeça e pouco dinheiro no bolso”, lembra Adonis.

Adonis Fauth foi um dos cinco jovens que fizeram do trabalho voluntário uma marca na imprensa do município (Foto: Arquivo NG)

Os cinco eram parte de uma geração de estrelenses chamada de Turma 65. Eles faziam cursos em Porto Alegre e queriam trazer melhorias ao município. Dessa ligação geracional surgiu o nome Nova Geração.

Todos eram voluntários no NG. Escreviam e organizavam os conteúdos em meio às atividades profissionais. Uma dessas pessoas era Normélio Eckerth, que, em 1966, voltava à Estrela para começar a carreira de bancário. “Sempre atuava em várias frentes. As horas de folga eram preenchidas com a atuação no jornal”, recorda.

No primeiro ano, os leitores já pediam para serem assinantes, mas o limite de 500 cópias no mimeógrafo dificultava o crescimento do jornal. Em 1967, o NG passa a ser impresso em papel jornal. Adonis Fauth lembra que a publicação chegou a ter 2,2 mil assinantes. “Geralmente cinco pessoas leem cada jornal. É impressionante saber que podem ter sido 10 mil leitores em uma cidade com menos de 30 mil”, diz.

Hoje, o Nova Geração atende também as cidades de Bom Retiro do Sul, Fazenda Vilanova, Colinas e Imigrante.

Responsabilidade

Um dos diretores da atual fase do NG é Rodrigo Martini. Segundo o jornalista, a história da publicação atesta a responsabilidade necessária com os leitores. “É um privilégio dar sequência a esta história de conexão com a comunidade”, afirma.

Mesmo como parte do Grupo A Hora desde 2021, o NG não abre mão de sua independência, com equipe e sede próprias. “Precisamos atender aos princípios e público conquistados ao longo de 57 anos, ao fazer a cobertura exclusiva na sua área de atuação dentro do Vale do Taquari”, acrescenta Martini.

Imprensa e construção

A jornalista Carine Schwingel, que já foi proprietária do Jornal NG, hoje é secretária de Desenvolvimento, Inovação e Sustentabilidade de Estrela. Para ela, a imprensa é importante para a construção de políticas públicas pelos governos. “Como movimenta e participa da vida da comunidade, tem uma leitura muito mais fiel do que a sociedade precisa do que muitas pessoas que estão a frente de cargos públicos”, admite.

 

Acompanhe
nossas
redes sociais