Especialista aborda como prevenir doenças de pele na infância

NOSSOS FILHOS

Especialista aborda como prevenir doenças de pele na infância

Médico dermatologista foi o convidado no programa “Nossos Filhos” do dia 24. Destacou os cuidados que devem ser tomados com a exposição solar e também os produtos mais recomendados para proteção do sol

Por

Especialista aborda como prevenir doenças de pele na infância
Sandro Gularte Duarte (à esquerda) foi questionado sobre os cuidados que os pais devem tomar para evitar doenças de pele nas crianças. Crédito: Luisa Huber
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O verão é sempre uma das estações do ano mais aguardadas pelas famílias. Praias, balneários e piscinas são alguns dos “refúgios” para amenizar o calor. Mas é uma época também onde os cuidados devem ser redobrados, sobretudo com as crianças. A exposição ao sol forte pode causar doenças de pele, algumas com maior gravidade.

Os riscos e cuidados que devem ser tomados por pais norteou a edição dessa quinta-feira de “Nossos Filhos”, programa multiplataforma do Grupo A Hora. O médico dermatologista Sandro Gularte Duarte, que atua na Clínica Revitallis e no Hospital Bruno Born foi o convidado. Ele é também preceptor do Ambulatório de Dermatologia da Univates.

Duarte abordou a importância da prevenção como forma de evitar problemas de pele que venham a afetar as crianças no futuro. Para isso, os cuidados devem começar cedo. “Isso vem desde a pele do bebê. Hoje se tem bastante conhecimento do assunto e precisamos educar as crianças e famílias desde pequeno para evitar essas doenças, sobretudo o câncer de pele”, salienta.

O fato do Rio Grande do Sul estar localizado na mesma linha da Austrália – país com maior índice de casos de câncer de pele no mundo – é um fator preponderante para o estado ter grande número de registros da doença. “Por isso, é importante esse cuidado com a exposição ao sol, pois essa posição no mapa influencia”.

Em relação aos horários, Duarte lembra que há uma recomendação de exposição da criança ao sol, de cinco a dez minutos por dia. “Isso é um consenso dentro da nossa especialidade. Há outras áreas que discordam disso. Mas o ideal é que a atividade ocorra antes das 10h e depois das 16h, que são horários com menor radiação solar”, comenta.

Proteções

Para se proteger do sol, Duarte reforça que, hoje em dia, os itens estão mais acessíveis do que antigamente. Além do filtro solar, destaca as roupas específicas, que hoje podem ser encontradas tanto em lojas físicas quanto pela internet. “Está muito mais fácil de adquirir”.

Quanto aos filtros solares, recomenda o uso a partir dos seis meses de vida em crianças. “São os filtros físicos, aqueles que ficam mais pelo lado de fora da pele. Só vai dar aquele efeito de ficar mais branco ou colorido, o que facilita para identificar”.

Em outros tempos, Duarte recorda que o uso de protetor solar sofria restrições. Hoje em dia, é essencial. “Quando era pequeno, fui a uma piscina onde tinha placa dizendo que era proibido o uso de filtro solar, pois sujaria o azulejo, entre outras coisas. Para ver como isso mudou e avançou. A conscientização aumentou muito”, pontua.


Dicas de cuidados com a pele infantil

1 – Evite levar crianças menores de um ano à praia ou piscina. Se levar, mantenha-o sempre à sombra, protegido com chapéu de abas e roupas. Filtro é recomendado a partir dos seis meses;

2 – Não exponha a criança ao sol entre 10h e 16h. Neste período, há maior incidência de radiação ultravioleta B, principal responsável por queimaduras e alterações que podem levar ao câncer de pele;

3 – Tenha atenção redobrada com determinadas partes do corpo, como o rosto, o couro cabeludo, as orelhas, o pescoço, os antebraços, as mãos e o dorso das mãos;

4– Use filtro solar específico para crianças, de marcas reconhecidas e que tenham proteção contra radiação UVA e UVB. Devem ser aplicados sempre à sombra e, no mínimo 20 minutos antes da exposição ao sol. Em princípio, protegem por duas ou três horas de exposição;

5 – Quando a criança fica mais de cinco minutos na água, é conveniente reaplicar o produto. Fora da água, a reaplicação deve ser feita a cada três horas;

6 – Em caso de queimadura solar, evite uma nova exposição até que o problema esteja resolvido. Ofereça líquido para evitar a desidratação e peça orientação ao pediatra sobre quais cremes utilizar;

7 – Cuidado com os dias nublados. Superfícies como areia, água e concreto refletem os raios solares e aumenta o risco de queimaduras;

8 – Guarda-sóis e outras formas de barreira não bloqueiam a redação, mas auxiliam. Utilize aquelas com produtos que tenham tecidos mais espessos e escuros

9 – Cuide da hidratação das crianças. Beber muita água é essencial. Frutas como melancia, melão e mamão, além de sucos de fruta sem açúcar também são bem vindos

 

Acompanhe
nossas
redes sociais