2022 será o melhor ano da nossa história, diz diretora administrativa da Fruki

EXPANSÃO

2022 será o melhor ano da nossa história, diz diretora administrativa da Fruki

Conforme Aline Eggers, há crescimento de faturamento, no volume de vendas e em número de clientes atendidos

Por

Atualizado segunda-feira,
21 de Novembro de 2022 às 09:03

2022 será o melhor ano da nossa história, diz diretora administrativa da Fruki
Aline Eggers Bagatini, CEO da Fruki Bebidas (Foto: Rodrigo Gallas)
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

“Pelas projeções, apesar dos custos crescentes de produção, 2022 será o melhor ano da nossa história”, diz a diretora administrativa da Fruki Bebidas, Aline Eggers, em entrevista à Rádio A Hora 102.9, nesta segunda-feira, 21. Conforme a CEO, há crescimento de faturamento, no volume de vendas e em número de clientes atendidos. “E nossa expectativa é de continuar a crescer em 2023.”

LEIA TAMBÉM: Incentivo de ICMS para fábrica da Fruki

Aline relata que Santa Catarina “está bombando”, e ainda não há planos para entrar no Paraná. No RS, a marca segue ganhando consumidores em ritmo acelerado.

Na semana passada, a Fruki assinou protocolo de intenções com o Governo do Estado, onde prevê investimento de R$ 153 milhões na fábrica de Paverama. Com isso, Estado e empresa se comprometem em estabelecer ações articuladas para viabilizar o investimento.

Conforme Aline, Lajeado não tinha espaço para abrigar a nova fábrica. “Paverama é local estratégico por conta de localização, qualidade da água e disponibilização de terreno às margens da BR-386.” Conforme o diretor industrial, Júlio Nascimento, a nova planta industrial abrigará a produção de linha pet em vários tamanhos, refrigerante, água mineral, bebidas mistas, entre outros. Não haverá produção de cerveja nesta fábrica.

Para efeitos de comparação: a fábrica de Lajeado tem capacidade para produzir 420 milhões de litros por ano, com sete linhas. Em Paverama, em uma única linha de produção, podem produzir mais de 200 milhões de litros por ano.

Ouça a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais