Leilão de antiga fábrica gera expectativa para 900 ex-funcionários

Em Teutônia

Leilão de antiga fábrica gera expectativa para 900 ex-funcionários

Apesar da avaliação em R$ 3,6 milhões, a antiga sede da empresa foi comprada por R$ 2,2 milhões

Por

Leilão de antiga fábrica gera expectativa para 900 ex-funcionários
Sede leiloada fica na Rua Carlos Arnt, no bairro Canabarro (Foto: Arquivo A Hora)
Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

O processo de homologação da venda da massa falida da Calçados Blip está em andamento na Justiça. Conforme o leiloeiro, Luciano Scheid, a oficialização da venda demora entre 30 e 45 dias.

Após o certame, o representante da antiga empresa, a administradora judicial e o Ministério Público (MP) devem vistoriar a transferência.

Para o presidente do Sindicato das Indústrias Calçadistas e do Vestuário de Teutônia e Região (Siticalte), Roberto Müller, o negócio gera expectativa para cerca de 900 ex-funcionários que ainda aguardam parte da indenização.

Após a empresa declarar falência, em 2011, os trabalhadores receberam 30% dos pagamentos relativos ao término dos contratos e esperam receber mais 30% com a venda da estrutura física. “O certo é que repor 100% dos direitos rescisórios vai ser difícil de conseguir”, admite Müller.

Apesar da avaliação em R$ 3,6 milhões, a antiga sede da empresa foi comprada por R$ 2,2 milhões. O pagamento é realizado com uma entrada de 25% do valor e o restante será divido em oito meses. O parcelamento pode atravancar a quitação dos passivos trabalhistas.

Prédio ocioso há uma década

Ao longo dos anos, a vegetação cresceu no local e se tornou um foco para insetos e vetores de doenças. O prédio já pegou fogo duas vezes.

Para o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Délcio José Barbosa, a venda do prédio é um alento para o município. “Por não ter nada ali, o comércio ao redor também sofria por ter uma coisa abandonada. Só o fato de alguém comprar nos dá esperança a movimentar mais o comércio ao redor”, diz Barbosa. De acordo com ele, a venda pode movimentar a economia local. “Grande parte deste dinheiro fica com os trabalhadores da Blip e isso vem para aquecer nossa economia”, prevê.

O município aguarda a oficialização da venda para entrar em contato com o comprador da área.