saúde pública

Ratos infestam terrenos e lixeiras no Moinhos d’Água

Moradores cobram do poder público medidas para evitar a proliferação de roedores. Problema é recorrente em outros bairros de Lajeado

Por

Ratos infestam terrenos e lixeiras no Moinhos d’Água
Dezenas de roedores habitam lixeiras na rua Ana Maria Schüller Azambuja. Foto: Gabriel Santos
Lajeado

Ratos são uma das pragas mais comuns na sociedade. A proliferação está relacionada diretamente com situações como terrenos baldios, construções abandonadas, esgoto a céu aberto e lixões. A infestação dos animais é uma reclamação recorrente nos bairros de Lajeado.

No Moinhos d’ Água, a situação preocupa os moradores na rua Ana Maria Schuller de Azambuja na esquina com a João Weiler Klein. Na tarde de ontem, a reportagem do A Hora constatou a presença de dezenas dos roedores em um terreno baldio e em uma lixeira.

Amanda Presser, 25, está entre os moradores que cobram ações da Secretaria de Meio Ambiente. “Faz quatro meses que tem essa infestação. Já pensamos até em colocar veneno nas lixeiras para terminar com este problema”.

Mesmo com a coleta seletiva ocorrendo diariamente, Amanda argumenta que faltam lixeiras para o depósito de resíduos, o que facilita a proliferação de ratos nos locais. “Muitas delas estão abertas e são muito pequenas. O lixo acaba se espalhando no chão e fica revirado”. Este problema fez com que a Secretaria de Meio Ambiente trocasse ainda na segunda-feira as lixeiras do local por novas estruturas.

Para tentar amenizar o problema, ainda no ano passado, moradores fixaram mensagens em lixeiras orientando para o descarte do lixo. “Favor respeitar a natureza”, dizia um dos avisos.

Cuidados com a limpeza

A infestação de ratos no bairro fez a moradora Simone Kaufmann, 28, mudar os hábitos. “Tenho que manter minha casa limpa. Não quero estes bichos dentro da minha casa”.

Para terminar com a infestação, Simone sugere uma mudança de comportamento dos moradores na hora de depositar os resíduos, pois o bairro tem a coleta diariamente. Outra preocupação é quanto à disseminação de doenças. “O lixo fica muito tempo exposto. Fica ruim até para a imagem do bairro”.

Conscientização

Moradores relatam que uma equipe da Secretaria de Meio Ambiente esteve no local fazendo a troca de lixeiras. A informação foi confirmada pelo secretário Luis André Benoit. “Também fizemos a aplicação de iscas em bueiros e terrenos baldios para evitar a proliferação”, afirma.

Benoit frisa que os moradores incomodados com a situação em seu bairro devem procurar a secretaria e solicitar uma ordem de serviço para que o problema possa ser resolvido imediatamente. O canal disponibilizado é o 3789 – 1100.

“É importante que a população colabore com a coleta seletiva e faça a separação correta do lixo. Caso contrário, o problema vai persistir”, alerta Benoit.

Sobre a instalação de lixeiras, solicitada por moradores, Benoit explica que a instalação depende de uma negociação entre governo municipal e proprietários de terrenos. “Só podemos fazer isso se houver a solicitação. Em muitos bairros a cobrança é pela retirada das estruturas”.