O futuro muda  quando você decide olhar para ele

Opinião

Rafael Zanatta

Rafael Zanatta

Head do Vibee Unimed

O futuro muda quando você decide olhar para ele

Por

Gustavo Adolfo 03

Um dos principais desafios que as organizações têm ao desenvolver o seu processo de planejamento é o quanto elas vão focar nas atividades do presente e o quanto de energia elas vão decidir alocar em projetos de futuro.

A resposta para essa pergunta está longe de ser simples, uma vez que a organização precisa olhar para o futuro para garantir que seu negócio terá continuidade, mas ao mesmo tempo não pode descuidar do presente e das receitas de quem mantém o negócio de pé.

No entanto, é preciso ter muito cuidado para que os olhos da organização não fiquem presos no curto prazo. Não se trata aqui de fazer um trabalho de “adivinhar” o que vai acontecer no futuro, mas sim de fazer os melhores movimentos e ter uma postura ativa para construir o que se deseja.

Isso porque uma grande parcela do que fazemos hoje está relacionada ao que imaginamos que o futuro vai ser. Ou seja, se tivermos a crença de que o futuro será digital, provavelmente vamos organizar as ações para se preparar para essa realidade e nossos projetos atuais vão refletir esse modo de pensamento.

E é por isso que o futuro muda quando você decide olhar para ele. Muitos dizem que o futuro não pode ser previsto porque ele ainda não aconteceu, mas a outra parte dessa história é que os fatos que vão acontecer estão intimamente ligados às decisões que você toma hoje e é por causa disso que você só terá alguma possibilidade de interferência se realmente parar para pensar sobre isso.

E aqui entra uma reflexão: você vê na sua equipe ou organização do “presente” as habilidades capazes de construir o futuro desejado? Se no futuro já sabemos que as coisas serão diferentes, não seria o caso de iniciar um processo que torne a adaptação à mudança menos impactante para não corrermos o risco de pararmos no tempo?

Quando nós observamos os casos que fizeram com que empresas ficassem para trás, sempre veremos uma mudança no ambiente de negócios que por uma razão ou outra não foi percebida ou acompanhada. E como esse ritmo tem se intensificado nos últimos anos tornou-se cada vez mais crucial essa postura ativa sobre o que nos espera logo ali na frente para não sermos pegos desprevenidos.
É por isso que precisamos retomar a capacidade e a vontade de olhar e construir o futuro. Ele vai acontecer de qualquer forma, mas se tivermos consciência desse fato deixamos de ser vítimas e passamos a ser autores do futuro que desejamos que aconteça.

Acompanhe
nossas
redes sociais