Juntos vamos mais longe

Opinião

Charles Rossner

Charles Rossner

Empreendedor e secretário de turismo de Encantado

Juntos vamos mais longe

Por

Gustavo Adolfo 03

Esta semana tem sido um pouco atípica no Vale do Taquari. Alguns movimentos surgem com mais força, outros de forma mais tímida, mas todos com o turismo em seus radares. Eu vejo como salutar esses movimentos.

O choque inicial é sempre desconfortável para alguns, mas no contexto geral, mostra que mais pessoas estão aderindo ao movimento de desenvolvimento turístico do Vale do Taquari. Movimentos que não são exclusividade da nossa região: Bento Gonçalves borbulha em mudanças estruturais com surgimento de dois movimentos muito fortes, políticos e da classe empresarial. Porto Alegre já se enxerga como destino turístico e está com a “faca nos dentes” querendo uma fatia deste mercado que hoje é ocupado por duas ou três regiões do RS, organizando-se rapidamente para tal.

A organização social em setores, quando mantida a moderação e o diálogo, sempre beneficia todos os envolvidos. Se hoje somos um Vale pujante e progressista, muito se deve ao formato que organizamos a nossa sociedade, com participação da sociedade, organizada como Associações, Cooperativas, Grupos e demais formatos. Isso corre em nosso sangue, somos associativismo vivo. Contudo, estes movimentos exigem um pouco de cautela e muito diálogo para que não sejamos um Vale de Associações que, em resumo, fazem sempre mais do mesmo.

Intitulei este texto com “Juntos vamos mais longe”. Sim, vamos. Mas vamos em qual caminho? Mais cabeças, mais ideias, mais opiniões geram mais oportunidades, mas também mais divergências, mais debate. O debate deve ser positivo e jamais uma disputa por protagonismo isolado e tampouco servir de massagem ao ego de um lado ou de outro. O papel de liderar lideranças talvez seja o mais desafiador neste momento. Turismo ainda é um bebê no nosso Vale.

Alguns nomes já aparecem há anos como lideranças naturais no setor e muitos outros nomes vem se juntando a este time. Diga-se de passagem, uma verdadeira seleção de nomes que querem contribuir e desenvolver o turismo na nossa região. É momento de definir os papéis destes atores, ajustar a direção, consolidar as lideranças. Vai ser uma construção, desafiadora e trabalhosa, mas necessária. Por muito tempo a Amturvales faz o papel de organizar, promover, apoiar e auxiliar até na comercialização do Vale do Taquari como destino turístico. Porém, o papel da Amturvales é ser a Governança Regional de turismo do Vale do Taquari.

O êxito da Amturvales se dá pela articulação e consolidação dos atores que a integram, seja da iniciativa privada ou setor público. A Governança Regional forte é sinônimo de associações fortes e, por consequência, empreendimentos empoderados. O caminho é desafiador, mas enxergo boas intenções em todos os movimentos. Uma coordenação madura proporcionará um desenvolvimento ainda mais rápido e assertivo para toda classe turística da região. Já somos referência no RS. Seremos no Brasil. Meu avô diria: “Não é hora de colocar a carroça na frente dos bois.”


Rapidinhas:

– Avenida do Turismo da Expovale comprovou um fato: Turismo é feito por pessoas, para pessoas. Os municípios da região foram protagonistas com suas programações.

– O Livro do Vale do Taquari, lançado pelo Grupo A Hora na Expovale, é mais que um livro. É um legado para a região. Que obra de arte!

– Não é hora de pisar em ovos. É hora de diálogo franco e peito aberto.

Acompanhe
nossas
redes sociais