Frota de motos cresce mais de 20% em dez anos

VEÍCULOS EM ALTA

Frota de motos cresce mais de 20% em dez anos

Região emplacou 10,8 mil motocicletas entre 2011 e 2021. Incremento de veículos nas ruas exige mudanças no trânsito para ampliar segurança e vagas de estacionamento

Por

Frota de motos cresce mais de 20% em dez anos
Departamento de Trânsito de Lajeado promove alterações para adequar fluxo ao aumento do número de motocicletas. Créditos: Felipe Neitzke
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A alta no preço dos combustíveis e a praticidade de locomoção no trânsito urbano. Esses são fatores que contribuíram no acréscimo de motos na região. Os dados da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) indicam que o número de motocicletas passou de 51,8 mil para 62,7 mil em dez anos.

O incremento de 21% na frota exige a atualização no trânsito a fim de garantir a segurança e comportar mais veículos. Entre os desafios, a abertura de novas vagas de estacionamento e coibir a imprudência. Com mais de 14 mil motos, Lajeado é uma das cidades que busca alternativas para melhorar a condução nas vias urbanas.

Embora as motos tenham um papel importante na mobilidade urbana, são também responsáveis pela maioria das mortes no trânsito. As estatísticas do Detran/RS expõem essa realidade e incentivam o debate sobre conscientização e fiscalização.

Os dados do departamento estadual indicam percentual elevado de vítimas em acidentes com veículos de duas rodas. Em Teutônia, nas ocorrências com mortes, ocupantes de motocicletas correspondem a 52% dos casos. Em dez anos morreram 25 pilotos e três caronas, sendo que 64% dos motociclistas mortos tinham entre 18 e 34 anos.

Vendas em alta

A comercialização de motos novas no primeiro semestre deste ano superou pela primeira vez o período pré-pandemia. De janeiro a junho foram vendidas 639,6 mil motocicletas no país, número 20% superior ao de 2019. O levantamento é da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenabrave).

Esses números também se confirmam na região. Conforme o gerente de concessionária, Galiardo Fornari, os emplacamentos aumentaram 10,1% entre o primeiro semestre de 2021 e 2022. “As vendas se mantêm fortes diante dos aspectos econômicos e de eficiência do produto. A moto tem baixo consumo e muita agilidade em seu uso.”

Sobre o perfil dos clientes, destaca o incremento de vendas para uso profissional. “Temos um público expressivo que utiliza o veículo para se locomover ao trabalho e também aqueles que ingressaram no mercado de entregas”, detalha Fornari.

Em relação aos modelos mais comercializados, motos de 160 cilindradas representam 47% das vendas e as de 125cc ocupam 18% das preferências. Entre as cidades que respondem pelo maior volume de negócios estão Lajeado, Teutônia, Encantado, Estrela e Arroio do Meio.

Faltam vagas para estacionar

Com mais motociclistas nas ruas, as cidades buscam alternativas para adequar o trânsito. Em Arroio do Meio a administração municipal abriu 40 vagas de estacionamento para motos. O investimento foi de R$ 15 mil para adequar o local na rua São José.

O mesmo ocorre em Lajeado. Conforme o coordenador do Departamento de Trânsito, Vinicius Renner, embora alguns novos pontos sejam criados está cada vez mais complicado de estacionar na área urbana. “Se for abrir vagas para motos teremos de extinguir locais de automóveis. Toda a frota aumentou de forma considerável nos últimos anos.”

Outra mudança prevista está relacionada à fiscalização de motoboys. Renner acredita que o número de profissionais de entrega tenha dobrado durante a pandemia. “Precisamos atualizar nosso cadastro. Nos próximos dias vamos começar com a identificação dos condutores. Temos conhecimento de pilotos sem habilitação e até mesmo menores de idade. Além de ir contra a legislação, coloca vidas em risco.”

Vítimas no trânsito

Levantamento do Detran/RS indica que nos acidentes com veículos em Lajeado, 42% dos óbitos foram de ocupantes de motos. Dos motociclistas, 85% eram homens e 67% destes tinham idade entre 18 e 34 anos. Os dados consideram o período entre 2011 e 2021.

Para reduzir esses índices, o setor de trânsito prepara algumas alterações. Conforme Renner, de forma gradual as câmeras de monitoramento serão usadas para identificar e multar infratores em semáforos e pontos críticos do trânsito de Lajeado.

“Percebemos que o abuso de velocidade, conduzir na contramão e cruzar o sinal vermelho estão entre as infrações recorrentes. Quando essa imprudência se transforma em acidente sabemos que ou o ocupante sofre lesões graves ou morre”, alerta Renner.

Vendas de motos no primeiro semestre cresceram 10% em relação a 2021


Frota de motos por cidades


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook.