A bússola eleitoral

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

A bússola eleitoral

Por

Lajeado
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Assessor parlamentar em Brasília, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Lajeado e suplente de Deputado Estadual pelo Partido Novo, o lajeadense Douglas Sandri assume a presidência do Instituto de Formação de Líderes (IFL) de Brasília. A solenidade virtual ocorreu nessa segunda-feira, com palestra do ex-presidente do Banco Central, o economista Gustavo Franco. Sandri tem se projetado para ser uma das referências liberais no Estado e, por óbvio, no Vale do Taquari. E essa deve ser a bandeira dele, também, no pleito de 2022.

Sandri terá a chance de conquistar a imensa maioria dos votos entre os eleitores mais liberais. Em 2018, ele perdeu muito apoio local para a tucana Mariela Portz, que compactua com algumas linhas de pensamento do Partido Novo. Desta vez, porém, a tucana deve ser aliada. E o seu eleitorado tende a apoiar Sandri. Mas ele também quer focar no eleitorado de fora. No pleito anterior, por exemplo, ele conquistou 15.907 votos – faltaram 317 para conquistar uma cadeira legislativa. Desses, 3.322 foram registrados em Lajeado, sua cidade natal.

Ou seja, a boa votação de Sandri passou de forma crucial pela sua campanha fora de Lajeado. Quatro de cada cinco votos foram conquistados fora da principal cidade do Vale do Taquari. Ao fim de tudo, ele angariou apoio em 377 cidades gaúchas. Em Porto Alegre, por exemplo, o lajeadense conquistou 2.647 eleitores, ou 17% do seu eleitorado, contra 21% conquistado em Lajeado. A boa campanha “fora de casa” é um dos segredos para quem almeja uma vaga na assembleia. Sandri já conhece os atalhos. Resta saber como anda a bússola dos outros pré-candidatos.

Acordes (mais do que) Solidários

Milhares de músicos dependem da arte e do povo para levar o pão e o vinho para dentro dos seus respectivos lares. Mas, desde março de 2020, a classe enfrenta o pior da pandemia em termos econômicos e sociais.

Muitos artistas estão literalmente à deriva em busca de outras fontes de renda. É fato. O setor de eventos está entre os mais prejudicados com as restrições impostas pela pandemia. E em Lajeado, a crise gerou união. Um grupo de 40 profissionais criou o movimento Acordes Solidários, com objetivo de instigar ações emergenciais de auxílio à classe. E uma das sugestões é direcionada à ACIL: eles querem espaço e valorização junto à Expovale 2021.

Prioridades

Os agentes de segurança foram contemplados e o mesmo deve ocorrer com os professores. Na semana passada, porém, a Justiça rejeitou pedido da Associação Sulbrasileira de Cemitérios e Crematórios (ASBRACE) e do Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (SINCEP) para incluir os trabalhadores da área no grupo prioritário da Campanha de Vacinação contra a covid-19. A decisão é do Desembargador Irineu Mariani, da 1ª Câmara Cível do TJRS. “Está-se diante de mérito administrativo de outro Poder, no qual o Judiciário não deve nem pode se meter, sob pena de ferimento à independência e harmonia afirmado como fundamental da República”.

Educação Essencial

No dia 4 de março, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, negou o pedido do governo do Rio Grande do Sul para que as aulas presenciais fossem retomadas. Antes disso, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) colecionou duas derrotas em tribunais locais. O processo teve início mediante ação judicial movida pela Associação de Mães e Pais pela Democracia (AMPD) e o famigerado CPERS, que pediram a suspensão de todas as aulas presenciais durante a bandeira preta.

Agora, a PGE volta ao STF com uma Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF). O objetivo, claro, é “reconhecer a inconstitucionalidade dos atos que estão impedindo a realização de atividades presenciais de ensino. É mais uma tentativa entre tantas outras espalhadas pelo estado afora. Em âmbito local, por exemplo, o vereador Alex Schmitt (PP) protocola um projeto de lei que “reconhece as atividades presenciais das redes pública e privada de ensino como essenciais para a população de Lajeado”.

O HBB em números!

O epicentro das atenções e dos atendimentos relacionados à covid-19 está no Hospital Bruno Born (HBB), a principal referência médica em termos de estrutura física e humana no Vale do Taquari. E os números são impressionantes. Desde o início deste pesadelo, a casa de saúde contabiliza 6.975 atendimentos referentes ao novo coronavírus. Neste mesmo período, foram contabilizadas 951 internações e outras 388 internações na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). E o pior de tudo. Dentro da estrutura do hospital, instalado entre as ruas Júlio de Castilhos, Carlos Von Kozeritz e Benjamin Constant, já foram registradas 197 mortes desde abril de 2020.

VACINA CONTRA A FOME

Uma boa notícia: as boas ações se multiplicam no Vale do Taquari. Além de Lajeado, que na semana passada iniciou a campanha “Vacina contra a fome” por meio da JCI, a comunidade estrelense também realiza campanha de arrecadação de alimentos, junto ao Parque Princesa do Vale, o principal ponto de vacinação. Por lá, a importante iniciativa é do Estrela Lions Clube.

Violência doméstica

Informação preocupante em Estrela: segundo o delegado Juliano Stobbe, já são quatro suspeitos de estupro presos só nos três primeiros meses de 2021. Todos tinham alguma ligação com as vítimas. E todas as vítimas eram menores de 18 anos.