Segunda faixa será liberada até 13 de abril

Tranqueira na BR

Segunda faixa será liberada até 13 de abril

Trânsito no trecho menos danificado da passagem sobre o arroio Boa Vista terá menos restrições. Em reunião na manhã de hoje, concessionária, ANTT e líderes regionais debatem cronograma da reforma para melhorar tráfego no local

Por

Segunda faixa será liberada até 13 de abril
A CCR liberou a passagem em uma faixa da ponte sobre o arroio Boa Vista. Prazo da reforma segue em seis meses. Foto: Fábio Kuhn
Vale do Taquari
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

O acidente em que um caminhão tombou e explodiu sobre a ponte do arroio Boa Vista, na BR-386, completa 13 dias hoje. Desde então, a população regional passou a sofrer com a falta de alternativas de ligações e com muitos atrasos nos deslocamentos.

Desde o acidente, foi formado um gabinete de soluções. Este grupo conta com integrantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Estadual (PRE), da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do Daer, prefeitos de Estrela e Lajeado, além da Câmara da Indústria e Comércio da região (CIC-VT).

Uma reunião virtual está agendada para hoje, às 11h30min. Esse encontro terá ainda a participação do gabinete do senador Luis Carlos Heinze. Por enquanto, o trânsito é limitado em uma faixa da ponte.

Conforme o diretor presidente da CCR Viasul, Fausto Camilotti, estão sendo feitos reparos de emergência.
A estimativa é liberar a passagem nas duas faixas até o dia 13 de abril. “Tivemos danos muito sérios nos pilares. Pilares, vigas, travessas nos dois trechos foram prejudicadas. O sentido norte colapsou. Por essa razão estamos fazendo o reparo no trecho que ficou mais preservado, para garantir uma parte do fluxo de veículos.”

Na semana passada, o setor de engenharia da concessionária indicou o prazo de seis meses para a reconstrução da ponte. Conforme o diretor presidente, esse planejamento se mantém. “É uma obra complexa. Não podemos pular etapas pelo risco de ter ainda mais danos e colocar os condutores em risco. Imagina só. São pilares com 15 metros de altura. Ainda assim, seremos os mais céleres po

ssíveis e, quem sabe, consigamos antecipar a reconstrução. Mas por enquanto, se mantém os seis meses.”
A principal demanda dos representantes da região é quanto à redução neste prazo. Pela análise da CIC-VT, além dos transtornos para a população também há prejuízos para empresas locais.

Assembleia regional debate alternativas

A Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) agenda para o dia 8 de abril uma assembleia online sobre infraestrutura viária. O secretário estadual de Transportes e Logística, Juvir Costella, confirmou participação no encontro. O tema do encontro será os investimentos em estradas e os projetos de infraestrutura de transporte para o Vale do Taquari.