O macaco Chico!

opinião

Hugo Schünemann

Hugo Schünemann

Médico oncologista e diretor técnico do Centro Regional de Oncologia (Cron)

O macaco Chico!

Por

Lajeado
Tudo na Hora 2 - Lateral vertical - Final vertical

Chico chegou no criadouro junto com outro mico-prego, primatas da fauna brasileira e gaúcha, extremamente inteligentes, no final de 1999. Na ocasião, o projeto estava na sua fase inicial, e o que sobrava de entusiasmo, faltava de equipamentos e experiência.

Chico foi acomodado em um recinto de metal, separado de seu companheiro. Ele era dócil e habituado ao convívio humano, ao contrário de seu companheiro, visivelmente capturado há pouco tempo, agressivo e estressado com o cativeiro.

Chico era de boa…
Vinha na tela do recinto quando nos aproximávamos, queria carinho, parecia conversar e sempre sorrindo. O mico-prego é o primata mais inteligente das américas. Usam ferramentas e ensinam suas habilidades para seus filhotes. Extremamente ágeis, podem ser agressivos e representar um perigo. Sua inteligência, se por um lado é impressionante e interessante, por outro, sua manutenção em cativeiro é um desafio.

Espertos e observadores, logo aprendem os hábitos dos tratadores e se esforçam para fugir na primeira oportunidade. E aí o estrago está feito.

Pois, Chico, logo mostrou suas habilidades.

Era um belo sábado de sol, estava eu a tratar os animais, quando chega a vez de Chico, abro a porta do viveiro e pan… Chico fugiu. E feliz da vida, subiu em um pinheiro, onde ficou em busca de comida. Liguei para o biólogo responsável, que em menos de uma hora estava lá. Não tínhamos redes, armadilhas, nada. O sol cada vez mais quente, e Chico lá em cima dando risadas.

Em dado momento, peguei duas latas de cerveja, para amenizar o calor, afinal, ninguém é de ferro. Ao abrir a cerveja, percebemos que Chico ficou agitado. Imediatamente, colocamos uma lata dentro do viveiro, e Chico, quase instantaneamente, entrou junto para pegar sua cerveja. Problema resolvido, graças à cerveja.

Chico vive no sitio ate hoje. Teve filhos, dá risada e se manifesta toda vez que me vê. Hoje providenciamos redes e armadilhas, nada de cerveja para Chico.

O malandro andou tomando vinho, mas isso é outra história…