“Seja a mudança que você quer ver no mundo”

Especial de Natal

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”

Projeto social acolhe crianças e transforma vidas por meio da solidariedade e do esporte

Por

“Seja a mudança que você quer ver no mundo”

O Natal é a época em que o espírito de solidariedade toma conta do mundo. No mês de dezembro, muitas pessoas se transformam no “bom velhinho” para levar amor e esperança a quem mais precisa. Mas, diferente de quem espera pelo final do ano para fazer a diferença, há quem é Noel o ano inteiro e leva a magia do Natal consigo todos os dias.

Inspirados pela famosa frase de Mahatma Ghandi, “seja a mudança que você quer ver no mundo”, Augusto Turelli, Robson Hamann e Fabrício Tedesco (o Binho) transformam a vida de crianças e jovens por meio do esporte.

É no Projeto Social Construindo Campeões que cerca de 30 moradores de Lajeado, entre quatro e 16 anos, têm a chance de buscar um futuro melhor. “Nosso objetivo é usar o jiu-jitsu como uma forma de inclusão social para aquelas crianças que são mais necessitadas, não somente da questão esportiva, mas de um carinho e amparo”, explica Hamann.

Desenvolvida junto a Associação de Moradores do bairro Moinhos, em parceria com a academia Alliance Mário Reis, a ação conta com o apoio da prefeitura, a mobilização dos alunos da academia e, principalmente, de iniciativas privadas para se sustentar.

“É um movimento conjunto. A gente almeja, sim, formar campeões no tatame, mas também queremos formar campeões da vida”, afirma Turelli.

 

Pilares de amor

Segundo os organizadores do projeto, muitas das crianças atendidas vivem uma realidade onde o amor dos pais é revelado na busca do sustento familiar e não há, todos os dias, demonstrações de carinho por meio de abraços ou pausas para conversas.

Acompanhar a formação dos pequenos se torna um desafio para os pais e o projeto é o porto seguro dos jovens. “A maioria não consegue suprir essa necessidade de atenção dos filhos. Não porque eles não querem, mas porque precisam sair cedo e voltar tarde para garantir o sustento”.

Nos treinos, as crianças recebem orientações e conselhos para superar os desafios do dia a dia. Os professores ainda garantem a distribuição de um lanche gratuito, refeição que, para muitos dos pequenos, faz a diferença na rotina.

Para Hamann, o Construindo Campeões é a segunda casa dos alunos, é o local onde se forma o caráter dos jovens com base nos dois pilares do jiu-jitsu: respeito e hierarquia. “O que a gente prega dentro do projeto, é o que todo lutador aprende no tatame e leva para a vida”.

 

A semente da diferença

Professor de box para adolescentes e adultos, Binho acredita que a partir do exemplo dos instrutores e os ensinamentos do projeto, as crianças entendem que o esporte é reflexo da vida. Nem todos os dias é possível levar a medalha de ouro, mas isso não pode ser motivo para desistir de lutar.

“É como uma semente plantada, que futuramente germina. Todos os dias precisamos regar os sonhos das crianças e fazer com que eles acreditem no potencial que possuem”, relata Binho.

Por meio do jiu-jitsu e do box a concentração e a disciplina passam a fazer parte da rotina das crianças. “A iniciativa é fundamental para os jovens, principalmente no ano que passamos, pois evita a ociosidade e mantém o equilíbrio do corpo e da mente”.

Outro diferencial do projeto é que as crianças desenvolvem o senso de igualdade e aprendem a importância da equidade. “Não temos só alunos carentes, há famílias com melhores condições também e no tatame todos são iguais”, ressalta Hamann.

 

Presente o ano inteiro

Turelli revela que todos os dias professores e alunos são presenteados com a troca de energia e a união que se forma na equipe. “A gente aprende muito com eles. Tentamos mostrar que treinando, sendo honestos eles vão crescer na vida. Quem sabe, podem até conhecer o mundo por meio do esporte”.

Tal exemplo transformou a jovem Camila. Aos 12 anos, ela já coleciona 16 medalhas de ouro e muitas histórias de amizade e superação. “O projeto vai muito além de só ensinar técnicas. Aqui a gente aprende a ser alguém na vida, faz novas amizades”, relata.

Camila conta que o maior presente que ganhou do projeto foi a sua transformação e a possibilidade de conhecer pessoas novas. O fato é comprovado pela mãe Lizete, que enxerga o amadurecimento na filha desde os primeiros dias de treino. “O Construindo Campeões é muito importante para a comunidade. As pessoas não fazem ideia, mas ele é capaz de mudar muitas histórias para melhor”.

Para 2021, Turelli, Hasmann e Binho pretendem expandir a ação para outros bairros de Lajeado, com o apoio da prefeitura. Hoje, apesar de o projeto estar sediado no bairro Moinhos, ele recebe crianças de todos os bairros, com limitação de vagas.

O desejo para o próximo ano é que a iniciativa receba mais apoio a fim de levar amor e esperança a outras comunidades. “A gente precisa lembrar que a busca pelo mundo melhor, começa por ti mesmo. Se você quer ver a mudança, comece fazendo a diferença por onde passa”, finaliza Binho.