Por ora, sem “acordão”!

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Por ora, sem “acordão”!

Por

Vale do Taquari

A possibilidade de um acordo entre partidos para garantir sinergia no momento de buscar vagas na Assembleia Legislativa é rechaçada de antemão por muitos correligionários. “Não haverá acordão”, me escreve um conhecido líder partidário do Vale do Taquari. “Isso é piada, todos vão querer aproveitar o momento”, aposta outro. “Os partidos vão estimular vários. Os partidos precisam”, garante um interessado leitor do cenário político regional. Não há como negar. A tendência, hoje, é de um novo pleito com alguns bons nomes, mas recheadíssimo de candidatos pouco expressivos e com remotíssimas possibilidades de vitória. Ou seja, a tendência, neste momento, é seguirmos sem deputado estadual a partir de 2023. Mas ainda há tempo para mudanças!


Violência contra mulher

O Tribunal de Contas do Estado realizou, na sexta-feira passada, o Seminário de Políticas Públicas para as Mulheres e Conselhos Municipais de Direitos. Em debate, as redes municipais de proteção para o combate à violência contra a mulher, um tema que abrange toda a sociedade. E entre as principais debatedoras do evento, uma conhecida aqui da região: a major da Brigada Militar e coordenadora Estadual das Patrulhas Maria da Penha, Karine Pires Soares Brum. Ela já esteve à frente dos batalhões da BM em Taquari, Teutônia e Arroio do Meio, e também atuou no CRPO-VT, em Lajeado.

A Major destacou a importância das autoridades municipais se articularem para estabelecer redes de proteção às mulheres, citando, como exemplos de instituições que podem colaborar, os Centros de Referência da Mulher, os Centros de Atenção Psicossocial, a Polícia Civil, a BM, entre outras. “Existem 57 Patrulhas Marinha da Penha no Estado, que atendem a 108 municípios. A BM tem o dever constitucional de fazer o acompanhamento mais aproximado das mulheres vítimas de violência, trabalhando não só com a repressão, mas principalmente com a prevenção da violência”, afirmou.


Censura do MP

O juiz Roberto Jose Ludwig se manifestou sobre a nociva Ação Civil Pública que a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Porto Alegre ajuizou contra a Rádio Gaúcha e o jornalista David Coimbra. O MP cita eventuais danos morais e coletivos em razão de comentários impróprios acerca do assalto a banco em Criciúma (todos estão sabendo, creio). Para o magistrado, a ação carece de “requisitos legais”. Ludwig deu 15 dias para o promotor de Justiça Voltaire de Freitas Michel apresentar provas para essa tentativa de censura velada à imprensa. Ora, é uma ação absolutamente desnecessária. A sociedade já indiciou, denunciou e condenou os responsáveis com a perda de credibilidade e patrocinadores. E parte da pena foi cumprida no dia do julgamento.


Sem mudanças

Em Lajeado, a denúncia de suposta compra de votos contra o atual vereador Waldir Blau (MDB) é frágil e, muito provavelmente, será arquivada pelo Ministério Público sem maiores danos aos também presidente da Associação dos Vereadores do Vale do Taquari (Avat). O emedebista ainda mantém esperança de ingressar no plenário. Para tal, é necessário que algum dos 15 eleitos seja punido com a cassação de mandato. E isso, de acordo com a opinião — e não a vontade – da mesma agente do Ministério Público, não deve ocorrer nos próximos meses (ou ano).


Influenciadores

Na sexta-feira passada, diversos empresários e agentes ligados ao setor de turismo no Vale do Taquari acompanharam a apresentação virtual de um relatório de atividades realizado pela jornalista Anelise Zanoni. Ela e outros três influenciadores digitais (blogueiros, essencialmente) percorreram 20 municípios da região para divulgar as belezas naturais e empreendimentos turísticos, em mais uma ação do Promotur, idealizado pelo SEBRAE/RS em parceria com a Amturvales.


Tucanos ficam!

Carlos Reckziegel, Secretário de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), e Luís Benoitt, Secretário de Meio Ambiente (Sema), devem permanecer no Governo de Lajeado no próximo mandato de Marcelo Caumo (PP). Os dois tucanos estão desde o início da gestão do progressista, contam com o respaldo de boa parte dos servidores, e foram fiéis escudeiros durante a campanha vencedora do pleito de 2020. A bem da verdade, Caumo tende a mexer pouco nos próximos meses.


Calendário de Eventos

Otimismo na câmara de Lajeado. O Governo Municipal encaminhou projeto de lei para definição do Calendário de Eventos de 2021. Na programação de janeiro, destaque para a previsão do evento esportivo Curta Verão, agendado para o dia 24, no Parque dos Dick, e também para o “Passeios na Colônia Caminhada Noturna: do Sol Poente e da Lua Cheia”, marcado para o dia 30, em alusão ao aniversário de 130 anos de Lajeado (celebrado no dia 26 de janeiro). Resta saber se o Governo Estadual vai permitir!


Joanete fica!

Em Encantado, e por ora, o recado da equipe de transição é curto: o único membro do secretariado com lugar garantido em 2021 é Joanete Cardoso Masiero. Ela vai permanecer Secretária Geral de Governo. Mas calma. Isso não significa uma “demissão em massa”. Extraoficialmente, o governo avisa que as trocas de secretarias devem ficar restritas às pastas da Educação e Agricultura. Já os Cargos de Confiança devem sofrer alterações. No fim do ano, todos os CCs serão demitidos para posterior recontratação. E com a quebra da coligação vencedora de 2016, muitos não voltam.