A prevenção como alternativa

opinião

Hugo Schünemann

Hugo Schünemann

Médico oncologista e diretor técnico do Centro Regional de Oncologia (Cron)

A prevenção como alternativa

Por

Lajeado
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

O enfrentamento da covid-19 mostrou a todos as deficiências que a estrutura de saúde do nosso país apresenta. Houve uma corrida desenfreada para comprar equipamentos, estruturar leitos, comprar EPIs. É obvio que o atendimento médico hospitalar é importantíssimo para um país como o nosso, de dimensões continentais e com mais de 200 milhões de habitantes. Sabemos que o numero de leitos, tanto no SUS, quanto na rede privada, estão abaixo do necessário, por varias razões. O Brasil precisa rever sua capacidade de internar. Mas esta é uma das formas de enfrentar os desafios na área da saúde. A outra é investir em prevenção. Podemos fazer prevenção de doenças, de várias formas. Água limpa, sim. Isso impede o desenvolvimento de várias doenças. Tratamento de esgoto, da mesma forma. Estradas melhores e mais seguras. Melhor condicionamento de alimentos. E assim por diante.

Mas há outros tópicos que devem ser citados. Vacinas não só para a covid-19, que tem predominado os noticiários, mas para poliomielite (estamos em plena campanha de vacinação, mas pouco se ouve falar), sarampo, rubéola e outras. Sim, as vacinas protegem das doenças, e em última analise, evitam internações. Mas, temos a prevenção para doenças mais complexas.

O Outubro Rosa e o Novembro Azul são estratégias para o combate a duas doenças importantes e atuais, o câncer de mama e o câncer de próstata. São campanhas educativas que alertam para a importância do autoexame de mama, e o exame de toque, que previne o câncer de próstata.

Mas há outras estratégias, como a identificação do grupo de risco e o estabelecimento de protocolos de rastreio para identificação precoce, neste grupo, para portadores da doença. Muitas doenças podem se enquadrar neste critério. E bem conduzido, pode-se intervir precocemente e aumentar as chances de cura. Isso se aplica a muitas doenças malignas, onde sabemos existir componentes familiares\genéticos que nos permite identificar grupos de risco.

A prevenção não é só uma alternativa para fazer frente aos desafios na área da saúde, é uma estratégia, para que possamos tratar logo, viver mais e melhor.