De olho nas telas

Saúde

De olho nas telas

Especialista explica como o uso excessivo de eletrônicos impacta na visão

Por

De olho nas telas

O uso cada vez mais frequente de dispositivos eletrônicos já era uma realidade antes da pandemia, mas, com as dinâmicas de trabalho virtualizadas, o tempo em frente às telas aumentou.

As crianças e adolescentes, já bastante expostas pelo uso de redes sociais e games, também precisaram passar ainda mais tempo diante dos computadores, tablets e smartphones em função das aulas virtualizadas.

Conforme a médica oftalmologista Jiovana Friedrich, o uso das telas exige cuidado e deve ser moderado, mesmo quando há a necessidade de exposição prolongada. Estes dispositivos emitem uma luz azul que têm efeito cumulativo e, com o passar dos anos, pode gerar danos precoces na retina e até catarata, explica.

Além disso, a visão de perto é sobrecarregada durante o uso das telas. “O esforço visual constante para focar os pixels que compõe as imagens e letras nas telas força muito a acomodação dos músculos oculares, o que causa cansaço e contribui para o início da miopia”.

A médica ainda acrescenta que, ao utilizar os dispositivos, a frequência do piscar diminui e reduz a lubrificação ocular, o que pode gerar ardência, olhos vermelhos, coceira e visão embaçada. “Por isso, precisamos usar com responsabilidade: fazer pausas a cada meia hora, olhar para algo distante por alguns minutos e ajustar o brilho das telas”.

Beber bastante água e estar atento para a frequência do piscar também são fundamentais para proteger a visão. No caso das crianças e adolescentes, também é importante estimular a visão de longe com atividades ao ar livre, onde possam se expor ao sol, com as devidas proteções.

Jiovana ainda reforça a importância de fazer revisões periódicas com um oftalmologista, que é o único profissional capacitado para avaliar, diagnosticar e tratar problemas de visão, assim como prescrever óculos ou lentes de contato.

 

Tecnologia a favor da visão

Alguns recursos também podem ser aliados no cuidado com a visão para quem acaba exposto de forma excessiva às telas. As lentes Zeiss DuraVision BlueProtect são desenvolvidas com tecnologia que protege a visão da luz azul emitida por monitores e telas de eletrônicos, como smartphones e tablets.

Estas lentes foram pensadas para quem passa muito tempo em espaços internos e que sente cansaço ou incômodo devido à exposição à luz emitida por lâmpadas de LED ou telas. Quando a luz azul atinge a lente BlueProtect, ela se dissipa e, assim, não causa danos aos olhos ou ao redor deles, explica Elisete Cavichiolli, da Zeiss Vision Center Lajeado.

“A região ao redor dos olhos também acaba prejudicada pela luz azul, que contribui para o surgimento dos famosos ‘pés de galinha’, pois muitas vezes esquecemos de passar protetor solar nesta parte do rosto”.

A lente BlueProtect possui camada anti reflexo e, assim como todas as lentes Zeiss, é uma lente saudável, ou seja, apresenta proteção UV no próprio bloco da lente, sem que seja necessário precisar pagar a mais por isso, reforça Elisete.