opinião

Caetano Pretto

Caetano Pretto

Jornalista

Colunista esportivo.

Craque do Inter e do Brasileirão

Por

A temporada de Thiago Galhardo é sem precedentes no Internacional. Principalmente no Brasileirão. O jogador que chegou praticamente como um negócio de ocasião, se tornou uma das melhores contratações do Colorado nos últimos anos e vive o seu auge na equipe.

No Campeonato Brasileiro, são 15 gols e 5 assistências em 17 jogos. Ele participa de um gol a cada 77 minutos na competição. Até o momento, não há outro jogador que faça sombra à Galhardo como craque do campeonato.

Mais do isso, o atacante impressiona também em outros quesitos, muitas vezes pouco valorizados. A inteligência é o maior deles. Seja dentro ou fora de campo, Galhardo se mostra um jogador intelectualmente acima da média. Fato comprovado a cada entrevista concedida antes, durante ou após os jogos.

Taticamente ele se encaixou em todos os lugares propostos por Coudet. Como segundo atacante, foi muito bem ao lado de Guerrero e brilha ao lado de Abel. Como centroavante, também mostrou desenvoltura e soube se adaptar. Nada mal para um jogador que até o ano passado era meio-campo.

Com 15 gols feitos antes mesmo do fim do primeiro turno, caminha para entrar na história do Internacional. O maior goleador do Inter em uma edição de Campeonato Brasileiro neste século foi Rafael Sóbis, que fez 19 gols em 2005. Número que deve ser batido em breve por Galhardo.

O maior goleador do Inter em uma única edição de Campeonato Brasileiro foi Cristian, que fez 23 gols em 1997. Se continuar no nível de atuação que tem demonstrado, Galhardo em breve superará este número também.

As competições da Dupla Gre-Nal

Entendo os treinadores da Dupla Gre-Nal quando estes falam e optam por privilegiar uma competição. Coudet vive falando que não tem elenco para brigar pelo título em duas competição. E agora está em três. Não é de hoje que Renato prefere privilegiar as copas, seja a do Brasil ou a Libertadores, em detrimento ao Brasileirão. E eles estão certos.

Inter e Grêmio possuem boas equipes. Mas não possuem bons elencos. Além de tudo, convivem com frequentes problemas de lesão. Esta semana o Colorado perdeu Boschilia para o restante da temporada, enquanto que o Tricolor não consegue fazer Jean Pyerre atuar com frequência.

Os nossos times não possuem condições financeiras para brigar de igual com as principais potências do país hoje. Leia-se Flamengo e Atlético-MG. O Rubro-Negro é uma seleção, enquanto que o Galo esbanja dinheiro para suprir os pedidos de seu técnico.

Por isso, a melhor chance para a Dupla é sim focar em alguma competição. Seja o Inter com o Brasileirão, onde faz uma campanha acima da média e ao final do primeiro turno ainda é líder. Seja o Grêmio com a Libertadores e a Copa do Brasil, competições em que sabe como poucos os atalhos para o sucesso.