Nossos clubes

Futebol o ano inteiro

Desde a década de 90, 11 Amigos, de Poço das Antas, participa de competições nos dois semestres

Por

Futebol o ano inteiro
Vale do Taquari

Fazer futebol não é fácil. Em uma cidade pequena é pior ainda. Nesse contexto o 11 Amigos se sobressai. Fundado em 1956, a equipe de Poço das Antas, desde a década de 90, participa de dois campeonatos por ano, um em cada semestre.

Presidido por Adriano Schneider, o clube tem 200 sócios ativos que participam ativamente nas programações anuais. “É um clube comunitário que tem como foco a confraternização e integração da comunidade.”

Quais são as atividades que vocês fazem para manter clube em dia durante o ano?

Adriano Schneider – Para manter as atividades do clube e participar dos campeonatos, a gente promove casamentos, festas, locamos a nossa sede para terceiros. No primeiro semestre temos a festa anual e no segundo semestre temos o bingo. Como jogamos dois campeonatos por ano, um em cada semestre, essas atividades dão uma oxigenada no caixa e deixa a infraestrutura do clube em dia.

Qual a importância do clube para a comunidade de Boa Vista e para a cidade de Poço das Antas?

Adriano Schneider – Olha creio que seja muito importante. É uma opção de lazer. Como é um município pequeno, Poço das Antas tem apenas dois mil habitantes e dois clubes ativo. Nosso intuito é sempre deixar o clube de portas abertas. Se olharmos o histórico dos times, penso que poucos são como a gente, que consegue se manter ativo nos dois semestres. Desde o inicio da década de noventa, nunca fechamos as portas em nenhum semestre. Nosso principal objetivo é proporcionar lazer principalmente para os jovens local, para que eles tenham a oportunidade de seguir os caminhos certos, juntamente com suas famílias. Eles conseguem trazer a família para os gramados e confraternizar todos juntos.

Quais as projeções para 2020?

Adriano Schneider – Antes da parada com certeza jogaríamos o Regional ou um campeonato paralelo. Essa parada deixou tudo no ar, a gente não sabe até quando vai e não vejo em um horizonte que o futebol vá retornar logo. Tem esse campeonato do primeiro semestre que terminou na primeira fase. Então a gente está aguardando as entidades e ver as opções que vão ficar disponíveis para a gente, daí vamos escolher. Como sempre falo, o objetivo é integrar e participar sempre de olho no caixa para manter o time ativo nos dois semestres.

É possível buscar o titulo inédito para a cidade?

Adriano Schneider – Sinceramente acho muito difícil. É possível conquistar, mas tem uma questão de custos muito elevada. Não tem como fugir muito disso no futebol. Temos um outro porém que é o fator local. Não temos muitos pratas da casa. Somos uma comunidade pequena, temos poucas opções como jogadores de casa. É difícil formar um elenco qualificado para disputar um torneio muito forte como o Regional Aslivata. Então teríamos que conseguir montar uma base muito boa de casa com contratações pontuais de fora. Nosso melhor ano foi em 2015, quando terminamos na quinta colocação. Para nós foi um êxito bem alcançado, sonhamos com esse título, mas é difícil conseguir esse objetivo.

O que é mais fácil ser jogador ou organizar o clube?

Adriano Schneider – Com certeza jogador. Como presidente, temos várias frentes, temos que resolver situações, muitas questões durante a semana. Temos que estar de olho em todo o contexto geral. O jogador não, ele tem o compromisso de entrar em campo e ali consegue resolver as questões em 90 minutos.

Ficha técnica

Nome: Esporte Clube 11 Amigos
Fundação: 01/05/1956

Localizado: Boa Vista, Poço das Antas

Títulos: Taça da Amizade (1993), Copa Sicredi (2002), Campeão Municipal (1997, 1998, 1999 e 2013) e Campeão da Segunda Divisão de Teutônia (1998 e 2001);