Entrevista da semana

“É um sentimento único”

Morando em São Paulo, o modelo Martin Tag virou especialista em participar de provas de triathlon e Ironman

Por

“É um sentimento único”
Lajeado

Como começou a paixão pelo triathlon?

Comecei fazendo corridas de ruas e tive um sonho que disputava uma prova de triathlon e minha tia me esperava na linha de chegada. Logo depois desse sonho ela faleceu. Comecei a treinar, só que não sabia nadar. Aí comecei a aprender a natação, tudo por youtube mas vi que não estava aprendendo nada, estava só remando mesmo. Foi então comecei a treinar de verdade até completar um Ironman em maio de 2019.

Qual a primeira prova? E o que tu sentiu?

Primeira prova foi em 2016. É um sentimento único. Você se desafia muito até chegar lá e quando tu sai para nadar a sensação é estranha, pois tu pensa que vai morrer afogado, pois tem duzentas pessoas batendo braço juntos, puxa touca, óculos e pé, aí tu se desespera um pouco. Quando tu completa a prova a realização pessoal é muito grande.

O que é mais fácil pra ti? Porque?

Eu me dou muito bem no ciclismo e na corrida. Na natação é falho ainda. Eu melhorei muito desde que comecei, mas ainda é muito falho pois comecei muito tarde, com 27 anos, então você fica com vícios. Quando você começa da infância a nadar, você começa do zero, mas quando você começa de adulto você tem aquela natação de rio, aquilo ali te prejudica na performance.

Qual a tua preparação para participar das provas?

Depende muito da prova que você vou participar. Provas curtas é mais tranquila, pois consigo conciliar vida social e treinos, mas nas provas mais longas ,tipo o Ironman não é tão simples. A prova em si tem 3,9 quilômetros de natação, 42 km de corrida e 180 de bicicleta. A carga horária semanal é de 18 a 20h de treinos. Meus treinos eram assim: na segunda natação e corrida. Na terça-feira duas horas de bicicleta; quarta-feira natação longa e corrida intermediária; quinta-feira fazia um pedal de 2 a 3h. Sexta-feira era natação curta e corrida longa. No sábado 8h de treinos e no domingo descansava.

Como estão sendo os treinamentos em meio a pandemia?

Tudo se adapta. Eu já cheguei a correr cinco quilômetros dentro de casa em um dia. Foi muito engraçado. Parecia um doido correndo dentro de casa (risos). Minha bike é especifica de triathlon, então comprei um rolo e consigo pedalar no lugar. Ele tem um sensor que mede velocidade, cadencia e frequência cardíaca aí consigo fazer tudo pela bicicleta. A corrida tem que ser dentro de casa ou na rua, agora foi liberado na rua com máscara. O problema está na natação. Aqui em São Paulo todas as academias estão fechadas.

Como é participar de um ironman?

É uma prova incrível, quem tiver oportunidade de estar em Floripa em meados de maio, dá uma conferida na prova. Tem um cara que é exemplo pra mim. Ele completou a prova só com uma perna. Ele sofreu um acidente e para ele o desafio era completar o Iromnam. Participei de quatro meio ironman e inteiro.

Teu sonho no esporte?

Na minha categoria é muito difícil chegar no mundial. Pois reúne os dois mil melhores atletas do mundo. Não tenho esse sonho, tenho amigos que treinam muito pra isso. No meio ironman fiquei a 20 segundos do Mundial. Nessa modalidade é possível, mas é um sonho distante pois é um investimento muito alto para se participar. A gente chega em um momento de decisão. Tinha o sonho de cumprir um Ironman e cumpri. Me sonho agora é passar essa energia de participar de uma prova como essa para pessoas. O Ironman te trás desafios. Tu fica com uma energia muito boa. Meu maior desafio é transmitir isso para as pessoas, mostrar que ele é vida. Não tenho nenhuma prova em vista. É castigante para o corpo fazer um Ironman, você fica bem debilitado, pois fica 11 e 12 semanas treinando média 20h/dia, então é muita coisa.

O que o esporte ajuda na tua rotina diária?

Cara esporte é corpo e mente. Ele me ajuda muito, pois no mundo da moda não é fácil. De dez testes que a pessoa vai, tu recebe nove não e um sim. O esporte é uma válvula de escape onde a cabeça fica vazia e deixa o corpo em forma. Então uma coisa leva a outra. Tenho uma alimentação mais correta também. Você deixa de reclamar algumas coisas que estão te incomodando no dia a dia. Então esporte é isso, ele alinha corpo e mente na minha modesta opinião.