opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

MP, o estagiário e o PSDB

Por

Lajeado

O presidente do PSDB de Lajeado, Carlos Reckziegel, vai responder ao Ministério Público sobre ações da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, que é chefiada por ele. O promotor quer detalhes da contratação de uma empresa de comunicação, em outubro de 2019, que fora recém-criada por um ex-estagiário da mesma secretaria. O contrato sem licitação era de R$ 17 mil, foi rompido antes do término, e apenas R$ 2 mil foram efetivamente gastos.

Este assunto veio à tona por meio desta coluna, em dezembro do ano passado. Além da coincidência envolvendo o ex-estagiário – filiado ao PSDB –, também restam suspeitas sobre as outras duas propostas avaliadas para balizar a dispensa de licitação. Uma pertencia a um parente de correligionário do partido, e outra não condizia com o objeto do contrato. Reckziegel ainda não foi intimado. Mas o Executivo já foi procurado para repassar detalhes.


Alianças em Estrela

Elmar Schneider (PTB), o secretário de Saúde de Estrela, anunciou que deixará o governo municipal nos próximos dias. Ele é pré-candidato a prefeito na cidade, e larga como um dos favoritos. Mas são muitos favoritos na cidade. E com muitos favoritos, a chance de coligação entre eles aumenta. Há quem ainda questione a força da dobradinha entre o Comandante César (MDB) e Paulo Finck (PP). E há quem aposte em mudanças substanciais neste quadro.


Passando por cima

prefeito de Encantado, Adroaldo Conzatti (PSDB), deu um verdadeiro “chega pra lá” nos vereadores. Faz duas semanas, o plenário derrubou o projeto de lei que previa a compra de uma área junto ao Parque João Batista Marchese. Com a negativa por parte dos parlamentares, o chefe do Executivo decidiu adquirir a área por meio de decreto. Não foi exatamente a mesma área prevista no PL rejeitado – o governo desapropriou cerca da metade do tamanho original –, mas foi um recado e tanto aos legisladores.


Havan em Lajeado?

Já se passaram mais de seis meses desde o anúncio “oficial” de instalação das Lojas Havan em Lajeado, e o Governo Municipal ainda não recebeu o projeto por parte dos empresários catarinenses. Faltam todas as necessárias licenças. Em novembro do ano passado, quando o próprio prefeito Marcelo Caumo anunciou o empreendimento em suas redes sociais, a expectativa era inaugurar a megaloja ainda no primeiro trimestre de 2020.

O sentimento na prefeitura ainda é pela instalação do empreendimento. A previsão é de uma loja com oito mil metros quadrados e cerca de 100 empregos diretos, com a famosa réplica da Estátua da Liberdade – que gera forte desgosto na ala mais piegas da Esquerda lajeadense. Aliás, as críticas de outrora cresceram e com justiça diante dos novos problemas judiciais envolvendo o proprietário, que hoje emprega mais de 20 mil pessoas no país.


Guarda Municipal ameaçada

Publicada no Diário Oficial da União, a Lei Complementar 173 que institui o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus – e disponibiliza mais de R$ 47,9 milhões só ao Vale do Taquari – pode criar um entrave para a implantação da Guarda Municipal em Lajeado. No artigo 8º da lei, consta que, entre outras limitações, os “municípios afetados pela calamidade pública decorrente da pandemia da Covid-19 ficam proibidos, até 31 de dezembro de 2021, de criar cargo, emprego ou função que implique aumento de despesa”.


Comércio local

Em Teutônia, segue em tramitação o estudo do projeto de lei de incentivo aos comerciantes afetados pela pandemia do novo coronavírus. Com apoio da Câmara de Indústria e Comércio da cidade, o governo municipal realiza um levantamento de preços dos aluguéis cobrados dos empresários. A ideia é estabelecer um parâmetro, ou um limite, e então subsidiar parte do valor durante a fase crítica da Covid-19. O projeto ainda passará pela câmara de vereadores.