cidade decorada

Coelhos saem da toca e vão para ruas de Colinas

A partir da semana que vem, o município estará decorado com cerca de 800 coelhos costurados por voluntários

Por

Coelhos saem da toca e vão para ruas de Colinas

No período que antecede a Páscoa, a comunidade de Colinas se movimenta para espalhar os cerca de 800 coelhos costurados, pelas praças e ruas do município. No sábado, será feito um mutirão com voluntários para terminar pelo menos 80% da decoração. A partir de semana que vem, a cidade vai estar oficialmente em clima de Páscoa e começam as visitas dos turistas.
 
No ano passado, circularam mais de 30 mil pessoas no município nesta época. Segundo a Secretária de Educação, Cultura, Turismo e Desporto, Aline Horst, este é um dos maiores eventos que Colinas promove. A programação este ano inicia na 2ª Colinafest, que ocorre entre os dias 21 e 24. No sábado do dia 23, terá caça ao ninho, no valor de R$ 3. As crianças serão convidadas a procurar os ninhos em meio às plantas, e também receberão pintura no rosto e participarão de brincadeiras. Neste fim de semana, o tradicional trenzinho do município também será atração.
 
Nos dias 6, 7, 13, 14, 19 e 20 de abril, ocorre a programação tradicional de Páscoa, na Praça dos Pássaros, que é o principal espaço público da cidade. Segundo Aline, a ideia é trazer também músicas e outras atrações artísticas para a programação. A agenda será divulgada em breve nas redes sociais do município.
 
Na Páscoa passada, a câmara de vereadores aprovou um concurso para eleger as casas mais enfeitadas de Colinas neste período. O projeto deste ano será apresentado à câmara na semana que vem e, em caso de aprovação, as casa serão avaliadas por um comissão de fora do município. A divulgação dos premiados será dia 18 de abril.
 
2019_03_15_Bibiana Faleiro_Colinas_Liris_Páscoa
Liris Terezinha Brentano costuma fotografar as Páscoas e relembrar a história do município

Pelas mãos de voluntários

No porão do Centro de Referência de Assistência Social – CRAS de Colinas, a professora Marlene Ferreira do Amaral e a coordenadora do CRAS, Jaqueline Scotta, se dividiam entre o remendo de um coelho e a costura de novas roupas para outros.
 
Elas são as responsáveis pela oficina de decoração de rua, que todo ano costura a decoração de Páscoa do município, que vai desde coelhos de 30 centímetros a 3,5 metros. Além de pirulitos, balas e cenouras.
 
Em frente à máquina de costura, Marlene explica que a preparação vem desde dezembro, quando cerca de 15 voluntárias usuárias dos serviços do CRAS se juntam a elas em duas tardes na semana. Além de costurar e remendar, elas aproveitam a tarde para tomar chimarrão e conversar. “Para muitas delas, este é um momento de terapia. Elas adoram ajudar”.
 
Mas no início de março, os encontros são mais frequentes, e outros grupos voluntários se disponibilizaram para ajudar na decoração. Entre grupos de mães, grupos de universidade, pais de alunos e outras pessoas, a comunidade prepara a Páscoa do município todos os anos.
 
“Agora que os encontros são mais frequentes, os voluntários aparecem nos fins de semana ou depois do horário de trabalho para ajudar”, agradece Jaqueline. Além das ruas, o município também se engaja para cuidar dos pátios, enfeitar as casas e receber de braços abertos quem vai visitar.
2019_03_15_Bibiana Faleiro_Páscoa_Colinas_CRAS

Tradição

Desde menina, Liris Terezinha Brentano, 79, gostava de decorar a casa para épocas festivas como Natal e Páscoa. Ela foi crescendo, e a tradição também. Ela lembra de ter sido uma das primeiras a enfeitar a casa na Páscoa de 1967, com os coelhos feitos em casa, de isopor. Ainda hoje os coelhos são confecções dela . Por ter que recolhê-los todas as noites, diminuiu a decoração.
 
Nesta época, ela gosta de passear pelo município e fotografar os coelhos e cenouras que enfeitam as ruas. E as guarda em álbuns no armário da sala de casa. “Tenho de muitos anos atrás, eu gosto de recordar a história do município”, explica.
 
Mas a Páscoa, além de bonita, também traz à ela uma reflexão sobre o perdão e a ressurreição de Cristo. “Gostaria que todos viessem ver a nossa Páscoa”, convida.
 
Além das casas, os comércios e estabelecimentos também entram na roda de decoração. Na manhã de ontem, o casal Simone Marasca, 44, e Cesar Scheer, 49, colocaram dois coelhos em uma bicicleta, que faz parte da ornamentação do posto de gasolina onde trabalham. A tradição veio da mãe de Scheer, Iria Scheer, que já ganhou destaque no concurso de jardim mais bonito, que ocorre junto à Festa das Flores, na primavera.
 

BIBIANA FALEIRO – bibiana@jornalahora.inf.br