Deputado articula CPI que mira empresas de energia elétrica

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Deputado articula CPI que mira empresas de energia elétrica

Miguel Rossetto (PT) depende de mais uma assinatura para instaurar comissão que vai avaliar atendimento da RGE SUL e CEEE Equatorial

Por

Atualizado quarta-feira,
31 de Janeiro de 2024 às 09:31

Deputado articula CPI que mira empresas de energia elétrica
Rossetto (PT) é o proponente da CPI (Foto: Divulgação/ALRS)
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (AL-RS) deve instaurar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para analisar o atendimento das fornecedoras de energia elétrica após o temporal do dia 16 de janeiro. O proponente é o deputado Miguel Rossetto (PT), que reuniu 18 assinaturas e depende apenas da adesão de mais um dos seus colegas para que a proposta avance.

Em entrevista ao Conexão Regional, Rossetto afirmou que o tema deveria ter aceitação unânime na AL, pelo impacto que causa na economia e na vida da população gaúcha. “Temos que estar ao lado do povo trabalhador. Isto é recorrente, chega! Durante o ano passado inteiro recebemos lideranças indignadas com o serviço desta companhia”, detalha.

O deputado afirma que serão revisados os contratos, o modelo de atendimento, investimentos e o papel da Agência Reguladora de Serviços Delegados do RS (Agergs) na fiscalização da prestação de serviço.

LEIA TAMBÉM:
Codevat cobra Agergs sobre problema com energia elétrica
“A RGE tem evoluído bem”, avalia diretor da Agergs
Clientes podem exigir indenização da RGE

Mobilização a partir de reportagem do A Hora
Um vídeo divulgado pelo Grupo A Hora chegou até Rossetto. As imagens mostravam leite sendo descartado e frangos mortos retirados de aviários em função da falta de energia elétrica. O petista afirmou que manteve contato com prefeitos, representantes de associações e outras autoridades. “Vamos escutar a comunidade, deixar as pessoas falarem destes anos de sofrimento e prejuízo. Precisamos crescer”, alerta.

Assista a entrevista na íntegra:

Acompanhe
nossas
redes sociais