Grupo busca alternativa à fiação

Postes, cabos e fios

Grupo busca alternativa à fiação

Legislativo, provedores de internet e RGE tratam de parceria com o Ministério Público para dar sequência ao projeto para retirada de cabos em desuso

Por

Grupo busca alternativa à fiação
No centro da cidade, problemas de fios soltos ou amarrados nos postes são recorrentes (Foto: Júlia Amaral)
Estrela
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Acúmulo de cabos nos postes e excesso de fios soltos têm incomodado e preocupado os moradores de Estrela. Entre as esquinas das ruas Venâncio Aires e Tiradentes, no Centro, Clóvis Aurélio Faraco, 72, assistiu quando um caminhão arrebentou fios mal instalados e soltos do poste. Um problema que, para ele, era anunciado há dias.

“Essas fiações têm se acumulado. Fica sempre para trás um fio que não é de ninguém. Alguém instalou, mas quando está em desuso não é de ninguém”, conta o aposentado. Ele morou na cidade em 2011 e só retornou dez anos depois. Desde que voltou, tem procurado o governo municipal para solucionar os problemas, mas não teve resposta.

Da sacada do apartamento, Faraco vê quando novas instalações são feitas. “Até chamo atenção, mas atribuo essa desorganização não apenas às empresas mas também à prefeitura que não faz nada. Não tem fiscalização”, reclama. Em busca de soluções, ele procurou os vereadores da cidade.

Em busca de soluções

Em reunião com o vereador João Braun, representantes das empresas provedoras de internet e da concessionária RGE, deram o primeiro passo em busca da solução do problema. “Eu vinha recebendo muita demanda de moradores, de fio amarrado em árvore, solto, amarrado em poste. Por isso propus a reunião com os responsáveis”, conta Braun.

Segundo o vereador, todos os envolvidos se mostraram dispostos a resolver o mau uso dos postes. Feita a identificação das empresas envolvidas, a próxima ação é marcar uma agenda para agregar o Ministério Público (MP) ao processo de discussões, uma vez que esse é o órgão que pode autorizar a retirada de fios irregulares. A reunião deve ocorrer ainda esse mês.

Braun lembra que já existem exemplos de parceria entre poder público, empresas e concessionária, como Erechim, Santa Rosa e Santo Ângelo. “Nossa intenção é somar esforços para, baseados nestas experiências bem sucedidas, trazer esse modelo para Estrela, com vistorias periódicas e cronograma de limpeza e manutenção da estrutura, visando melhorar os serviços ofertados à população”, destaca.

Participante da reunião, o gerente comercial da BrasRede, Marco Antônio Barth, acrescenta que a ideia é promover um mutirão de limpeza e assim identificar os principais problemas. “É um assunto de nosso total interesse. Já temos ações nesse sentido”, comenta.

Campanha Poste Limpo

No mês passado, a BrasRede iniciou o projeto “Poste Limpo” em todas as cidades em que tem cobertura – Arroio do Meio, Lajeado, Estrela, Teutônia, Encantado, Santa Clara do Sul, Westfália, Paverama, Capitão, Roca Sales, Cruzeiro do Sul e Colinas. A ideia é dedicar uma equipe de manutenção só para fiscalizar instalações nos postes, consertar, organizar e substituir a fibra óptica dos clientes da empresa.

A campanha foi proposta pela Associação dos Provedores de Internet do Sul, com o objetivo de conscientização sobre as melhores práticas no compartilhamento de postes junto às concessionárias de energia para a distribuição do cabeamento nas cidades.

Responsabilidade das empresas

“A RGE fiscaliza e emite notificações a todas as empresas cadastradas que têm contrato de compartilhamento de infraestrutura na região quando identifica eventual irregularidade de responsabilidade das ocupantes”, informou a assessoria da RGE à reportagem.

Conforme a concessionária, os ocupantes dos postes, empresas de telecomunicações que possuem contrato, são responsáveis pela manutenção das instalações (fios e cabos) e devem mantê-las regularizadas, de acordo com as normas técnicas e regulatórias.

Acompanhe
nossas
redes sociais