Moradores acionam MP por falta de água no Pinheiros

PROBLEMA RECORRENTE

Moradores acionam MP por falta de água no Pinheiros

Interrupções se acentuaram nos últimos dias, com cortes no período entre o fim da tarde e à noite. Um abaixo-assinado é preparado pela comunidade e foi efetuada denúncia ao Ministério Público. Corsan mantém estudos para identificar pontos de vazamento

Por

Atualizado domingo,
27 de Novembro de 2022 às 09:03

Moradores acionam MP por falta de água no Pinheiros
Reservatório que atende ao bairro fica próximo aos locais afetados pela falta de água / Crédito: Jhon Tedeschi
Estrela
Gustavo Adolfo 03

Um grupo de moradores do bairro Pinheiros se mobiliza para pedir melhorias na distribuição de água por parte da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). A reclamação sobre as restrições no serviço motivou uma ação civil pública, com a coleta de assinaturas. Em paralelo corre uma ação junto ao Ministério Público (MP), protocolada no fim da semana passada.

As áreas mais altas da localidade são as mais afetadas, desde a rua Júlio Lohmann até as proximidades da BR-386. De acordo com os relatos dos moradores, a situação se agravou nas duas últimas semanas. “Sempre quando aumentam as temperaturas, próximo ao verão, temos esses problemas”, conta o morador Vinício Bugs.

Ele fala sobre o que considera “um descaso” vivenciado pela família e pelos vizinhos. “Começa com a falta de pressão no sistema de distribuição e em seguida as torneiras secam”, diz. “A Corsan já apresentou algumas justificativas, porém elas não resolvem o problema e sim deixam clara a triste situação da distribuição de água no município”, acrescenta.

Conforme o relato dos moradores, a instabilidade no fornecimento inicia por volta das 17h e vai até a meia-noite. O documento enviado ao MP menciona que os trabalhadores “chegam em casa e sequer tem condições de tomar banho” e ressalta que as condições ocorrem diariamente. São cerca de 150 moradores afetados e alguns deles se articulam em busca de soluções. Para troca de informações sobre os cortes, eles mantém contato pelas redes sociais.

A exigência do grupo é que sejam disponibilizados mais poços artesianos no bairro. O reservatório que atende ao Pinheiros fica no fim da rua Edmundo Alfredo Steyr, e os moradores apontam que uma das causas dos transtornos seria uma sobrecarga causada pelo atendimento a outras localidades. Outra solução paliativa seria a disponibilidade de um caminhão-pipa para compensar as faltas de água.

 

Manutenção programada

Uma reunião com a Corsan foi solicitada e ocorreu na quinta-feira, 24. Nela, a companhia apontou que o bairro é abastecido por três poços e que o maior deles está com a produção comprometida. As equipes iniciaram os trabalhos de manutenção e preveem a entrega para o dia 30. Enquanto isso, o pedido por caminhões-pipa será atendido e três tanques distribuirão água ao bairro durante o dia.

 

Posição da companhia

A Corsan garante que locais como Nova Morada não recebem água que deveria ficar no bairro Pinheiros. Em nota, a companhia diz que trabalha para solucionar as faltas de água com equipes de pesquisa de vazamento e de manutenção. O órgão acrescenta que faz uso de abastecimento complementar, “para poder manter o abastecimento de água até que seja localizado este vazamento”.

Acompanhe
nossas
redes sociais