A Solidão da Liderança (evoluímos)

Opinião

Albano Mayer

Albano Mayer

Consultor executivo e articulador do Pro_Move Lajeado

Assuntos e temas do cotidiano

A Solidão da Liderança (evoluímos)

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Faz um tempo que estudo o assunto Liderança. Assumir este papel é um momento que requer reflexão, é uma decisão difícil e devemos estar preparados para suas possíveis consequências. Invariavelmente com os caminhos que optamos perderemos alguns amigos, colegas, liderados e possivelmente alguns seguidores. Com as responsabilidades que assumimos constantemente, temos que buscar novos liderados e colaboradores dispostos a nos acompanhar.

Um líder precisa saber decidir. Uma das principais responsabilidade da liderança é a tomada de decisão, e gosto das duas afirmações: “a indecisão é a pior decisão”, “a boa decisão é a decisão tomada”. As melhores decisões são baseadas em fatos, dados, ideias relevantes e construções coletivas, porém ao decidirmos encontraremos apoiadores e divergentes, e o ônus da decisão tomada. E como tomarmos melhores decisões?

Acredito que o melhor caminho está na construção da decisão, no envolvimento da equipe e na formulação desta decisão, nem sempre as decisões não precisam ser tomadas imediatamente e exclusivamente pelo líder. Temos que estar seguros, ou ao menos convencidos, que esta decisão garantirá o resultado planejado.

Mas, mesmo com as decisões compartilhadas, líderes ainda vivem o desafio da sua solidão. A responsabilidade que cai sobre os ombros do líder requer coragem e a crença que vamos levar o nosso time a evoluir. Entre as dúvidas sobre a solidão na liderança, me surgem dois caminhos:

No primeiro caminho, onde o líder aceita a solidão e com o tempo torna-se um “Líder Solitário”, o resultado é que possivelmente não terá equipe em um futuro bem próximo, perderá a habilidade de desenvolver pessoas e transitar entre elas, e será o fim da sua liderança.

O segundo, no qual acredito, é o líder recusar a solidão. Um bom líder precisa saber correr riscos, escolher as melhores pessoas para sua mentoria, compartilhar com estas a carga das suas decisões. Ele precisa formar sucessores, que podem apoiar e garantir o seu legado, criar laços de desenvolvimento, atuando claramente como seu mentor. Um excelente exercício de confiabilidade e liderança é envolver seus colaboradores na tomada de decisão e prepará-los diariamente para liderar.

Um bom líder precisa acreditar nas pessoas, entender as suas limitações, acreditar no seu desenvolvimento e potencial de mudança. Precisa aprender a entendê-las de forma integral, transpassando o envolvimento profissional. É responsabilidade do líder usar o potencial máximo dos membros da sua equipe, seus talentos e habilidades, que por vezes é desconhecido pelo próprio liderado.

A solidão não é algo a ser aceito, acredito ser mais um dos diversos desafios do líder da atualidade.

Acompanhe
nossas
redes sociais