Caminho da Erva-mate

Opinião

Raica Franz Weiss

Raica Franz Weiss

Caminho da Erva-mate

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Há 20 anos, líderes regionais assinavam contrato para o início das obras de sinalização do Caminho da Erva-mate. A rota turística receberia placas indicativas, tótens, belvederes e um pórtico de entrada.

O investimento estava orçado em quase R$ 500 mil e o roteiro passaria pelas cidades de Arvorezinha, Itapuca, Ilópolis, Anta Gorda, Doutor Ricardo, Putinga, Relvado, Nova Bréscia e Encantado. Na época, Arvorezinha também pretendia criar o primeiro museu da erva-mate do estado.

As autoridades locais participavam da assinatura do contrato. Crédito: Arquivo Municipal de Lajeado/O Informativo


O lixo em Lajeado

O Censo do IBGE de 2000 revelava que 93% dos domicílios de Lajeado tinha o serviço de coleta de lixo. Isso representava um índice maior que o estadual.

De acordo com a notícia de O Informativo, o levantamento incluía dados de Forquetinha e Canudos do Vale. Naquela época, quase 5% do lixo coletado era queimado e Lajeado produzia mais de 40 toneladas de lixo por dia. Hoje, chega a quase 60 toneladas ao dia.


Enquanto isso…

Final de MotoGP em 2002 – O italiano Valentino Rossi se consagrava o campeão mundial de MotoGP pela segunda vez, há 20 anos. Ele venceu o GP Brasil em Jacarepaguá, no RJ. Naquele ano, Rossi havia ganhado 10 das 12 corridas que disputara.


HÁ 50 ANOS

Meio século da colonização do Norte

Exatamente 50 anos atrás, no dia 22 de setembro de 1972, saía a primeira remessa de suínos aqui do Vale do Taquari para a região Norte do Brasil. A iniciativa era encabeçada pelo Ministério da Agricultura, em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), e fazia parte da colonização do Norte do país.

Conforme conta o Jornal Nova Geração, antes disso, mais de cem animais haviam sido importados da Europa e dos Estados Unidos para o Vale. Eles passaram por uma quarentena no antigo Parque 20 de Maio, em Estrela, e depois foram distribuídos aos criadores do estado e da região. A ideia era melhorar a genética dos reprodutores já existentes aqui.

Por isso, cinquenta anos atrás, os suínos da região foram escolhidos para serem levados ao norte, na cidade de Altamira, no Pará, e em Rondônia. De acordo com o NG, os noventa animais seriam distribuídos para os colonos residentes em áreas ao longo da rodovia Transamazônica. Segundo o jornal, o presidente Médici faria a entrega oficial dos suínos em uma cerimônia, quando ele inauguraria o primeiro trecho da rodovia.

Comitiva que levou a primeira remessa. Na foto, o cartaz traz “Ministério da Agricultura promove Suinocultura do Norte. Criadores gaúchos saúdam o Norte”. À esquerda, segurando o cartaz, de chapéu e camisa branca, está Aury Ruben Mörschbächer, na época, técnico agrícola do Ministério, que acompanhou a viagem de mais de 45 dias. Crédito: Arquivo Luis Augusto Mörschbächer


Enquanto isso…

Revista no embarque – Cinquenta anos atrás, o Ministério da Aeronáutica determinava novas normas para o embarque nos aviões comerciais. A medida previa que o passageiro seria revistado duas vezes e que apresentasse um documento oficial de identificação. Além disso, a partir de então, apenas autoridades oficiais poderiam carregar armas brancas ou de fogo nos voos.

Acompanhe
nossas
redes sociais