TRE cassa mandato de vereador de Muçum

POLÍTICA

TRE cassa mandato de vereador de Muçum

Carlos Eduardo Ulmi (MDB) foi condenado por compra de votos durante as eleições de 2020. Decisão cabe recurso

Por

Atualizado segunda-feira,
19 de Setembro de 2022 às 18:39

TRE cassa mandato de vereador de Muçum
Crédito: Reprodução/Facebook
Muçum
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decidiu, na tarde desta segunda-feira,19, pela cassação do mandato do vereador e  ex-presidente da Câmara de Muçum Carlos Eduardo Ulmi (MDB). Em 14 de novembro de 2020, véspera do pleito, ele foi abordado pela Brigada Militar (BM) na Rua Borges de Medeiros,  área central do município. No carro,  a guarnição encontrou R$ 640 e uma lista com nomes de eleitores em duas colunas, identificadas como “antes e depois”, o que sugeriria uma compra de votos. A ação foi movida pelo PSDB.

A juíza Jacqueline Bervian já havia decidido em primeira instância. Na sentença, além de cassar o diploma de Ulmi, a juíza declarou a nulidade dos 214 votos dados ao vereador. Desta forma, permanecem válidos somente os atribuídos à legenda do candidato da eleição proporcional.  Segundo o advogado do PSDB, Jonas Caron,  como se trata de uma decisão do TRE, o efeito é imediato e o Cartório Eleitoral de Encantado será oficiado a qualquer momento. Assim, uma recontagem de votos  será feita para definir o suplente.

“Vamos aguardar a publicação oficial da sentença para depois analisar a viabilidade de um pedido de recurso”, afirmou o advogado de defesa, Felipe Henrique Giaretta. A última instância é o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Mais detalhes no Jornal A Hora desta terça-feira, 20.

Confira o julgamento do TRE

Matéria em atualização.

Acompanhe
nossas
redes sociais