Arte e natureza em miniatura

CADERNO VOCÊ

Arte e natureza em miniatura

Prática de bonsai ganha adeptos na região. Evento neste fim de semana reúne expositores e curiosos no Parque do Imigrante

Por

Arte e natureza em miniatura
Daniel Haetinger possui um pequeno viveiro no bairro Imigrante, com diversas espécies de bonsai. Crédito: Bibiana Faleiro
Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Em pequenos vasos, diferentes espécies de árvores viram bonsai. De folhas verdes, amarelas ou avermelhadas, o segredo da prática está na poda e modelagem dos galhos e raízes. É dessa forma que Daniel Haetinger cultiva centenas de plantas em miniatura em um terreno no bairro Imigrante, e ensina as técnicas da arte.

Neste fim de semana, 23 e 24, ele organiza um evento no Parque do Imigrante que conta com mais de 80 expositores e espera 7 mil de visitantes em Lajeado, das 9h às 18h.

O encontro é promovido pela escola Top Bonsai, administrada por Haetinger. O sonho de ter a arte como hobby era do pai. Mas, quando ele morreu, a tarefa ficou com o filho. “Foi talvez uma coisa meio inconsciente de querer dar continuidade a esse sonho do meu velho. Comecei a fazer”, recorda.

O lajeadense mantinha uma floricultura na beira da estrada do mar, em Osório. Logo que iniciou a prática, quem visitava o espaço queria comprar as plantas e, assim, o hobby deu lugar a uma oportunidade de negócios. Alguns anos mais tarde, se especializou com professores italianos e, em 2017, já ministrava o próprio curso em Lajeado.

Top Bonsai 2022

A ideia de criar um evento que reunisse os amantes da arte do bonsai surgiu em 2019. Na primeira edição, o encontro recebeu mais de 7 mil pessoas, entre expositores e visitantes de todo o país.

Neste ano, serão cerca de 100 bonsais expostos, e quase mil plantas disponíveis para comercialização. A visitação é gratuita mas, quem quiser assistir as palestras com Francisco Corrêa, Mauro Stemberger e Daniel Haetinger deve se inscrever. No sábado, às 15h, e no domingo, às 10h, haverá uma palestra aberta sobre cuidados com bonsai.

Pelo mundo

Um dos palestrantes é o italiano Mauro Stemberger. Natural da cidade de Feltre, seu interesse por bonsai iniciou aos 14 anos, incentivado pelo contato com a natureza. No início, frequentava um clube na cidade, e começou a estudar. Depois de 30 anos na área, hoje, ele viaja o mundo dando cursos e participando de exposições.

Stemberger também vem ao Vale para dar cursos avançados sobre estética, técnica e cultivo das plantas, em quatro dias de imersão. Um dos encontros foi nessa semana, com o trabalho feito em uma árvore da espécie “juniperus”, planta que se adapta bem ao Brasil.

Stemberger explica que o bonsai é uma arte, e um estilo de vida. Precisa de cuidado diário, com técnicas que ele também ensina por meio do canal do YouTube Bonsai Dream. De acordo com ele, todas as plantas podem se tornar bonsais. O segredo está na poda, e no desenvolvimento das raízes em vasos.

Cura em meio à prática

Foi para se curar de uma depressão que Antônio Carlos Damiani, conhecido como Tunico Bonsai, se interessou pela prática. Já acostumado com o trabalho na engenharia mecânica, buscou um hobby que se assemelhasse à arte. Com o tempo, começou a postar seus cultivos na página do Instagram @tunicobonsai, que já coleciona mais de 55 mil seguidores.

“A arte mudou minha vida”, garante. Com muito estudo, passou a dar workshops, mesmo que ainda prefira ter a prática como passatempo. Na casa dele, tem mais de 350 árvores que transforma em bonsais. Uma pequena coleção particular que tem peças vendidas apenas quando quer abrir espaço a novas criações.

Morador de Passo Fundo, ele vem com frequência a Lajeado para participar de cursos. Para o encontro deste fim de semana, traz oito plantas que já são aguardadas pelos visitantes. “Hoje as pessoas me conhecem, e isso me motiva. Tenho seguidores na China, Japão, Europa, América do Norte”, destaca.

Novos Talentos

Mathias Appelt, 21, também participar do evento neste fim de semana, com a exposição de duas plantas. Na casa dele é onde o lajeadense faz o cultivo dos 10 bonsais já prontos, e das mais de 100 árvores que estão no processo.

O gosto pela técnica iniciou em 2015, quando Appelt pesquisava sobre o assunto na internet. Mais tarde fez um curso básico na escola Top Bonsai e, em 2017, foi campeão do concurso de Novos Talentos do Bonsai Gaúcho, que ocorre todo ano.

Entre as aulas e a prática em casa, os cuidados com cada planta são diários. “A rega, adubação, análise de pragas são diários. E os trabalhos mais aprofundados, de passar arame e modelar depende da época do ano e do nível da planta”. Na sua coleção, ele tem Jasmim anão, juniperus, carmona, entre outras espécies.

Arte viva

Bonsai é uma forma de arte viva ancestral que utiliza técnicas de cultivo e treinamento para produzir árvores em miniatura que imitam a aparência das versões das mesmas espécies em tamanho natural.
Mesmo em tamanho menor, no entanto, se a planta apresenta frutas ou flores, elas crescerão no tamanho original. Se o bonsai for plantado no chão, vai criar raízes e se desenvolver em uma árvore normal.

 

 


Acompanhe nossas redes sociais: WhatsApp Instagram / Facebook