“O Grupo A Hora me apresentou um desafio: explorar a editoria de meio ambiente e sustentabilidade”

Opinião

Luciane E. Ferreira

Luciane E. Ferreira

Jornalista

“O Grupo A Hora me apresentou um desafio: explorar a editoria de meio ambiente e sustentabilidade”

Por

Vale do Taquari
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Olá! Meu nome é Luciane Eschberger Ferreira. Tenho 52 anos de idade e 27 de jornalismo. Diferente dos radialistas, que são conhecidos pela voz e nome, no jornalismo impresso, os profissionais são quase anônimos. Por isso, me apresento, afinal, a partir de hoje, “conversarei” com você, leitor, todas as terças-feiras, neste espaço, nesta página.

Vamos lá! Coisas que eu gosto: estar com a família, exercer a minha profissão, ter cachorro, ler, assistir a seriados, fazer crochê e comer. O que me desagrada: preconceito de qualquer tipo, assim como agressão física, moral e psicológica.

Nestes 27 anos de jornalismo, transitei por diversas editorias: política, polícia, economia e geral – que é de tudo um pouco. Exerci as funções de repórter, pauteira e editora.

O Grupo A Hora me apresentou um desafio: explorar a editoria de meio ambiente e sustentabilidade. A reação foi imediata: passei a estudar, ler, participar de eventos e grupos sobre o tema, conversar com profissionais da área. E confesso: a experiência está sendo excelente.

O projeto Viver Cidades abriu um leque de possibilidades e experiências. Em meio ano, já tenho muito a contar. Neste espaço, vou compartilhar os bastidores das reportagens e dos debates sobre o tema que ocorrem na Rádio A Hora 102.9.

Uma experiência ímpar foi acompanhar a coleta de água pelos rios e arroios do Vale. No Taquari (foto), o trabalho foi de barco. Conheci um rio lindo, no trecho entre Cruzeiro do Sul e Arroio do Meio. O resultado das análises, entretanto, não foi satisfatório – temos um manancial carregado de esgoto doméstico.

A qualidade das nossas águas superficiais é apenas um assunto entre tantos que pretendo abordar neste espaço. A intenção é refletir sobre o bem coletivo mais precioso: o ambiente. Você, leitor, está convidado a contribuir com informações, opiniões e sugestões de temas. Seja bem-vindo a este espaço!


Areia é o segundo recurso mais explorado do mundo

Li, certa vez, que o amor deve ser cuidado como areia nas mãos. Se apertá-las, escorre entre os dedos. Se abri-las totalmente, é levada pelo vento.

Deixando o romantismo de lado, é preciso saber que a areia é o segundo recurso mais explorado do mundo – o primeiro é a água – e deve ser administrada de forma sensata, ou seja, sem apertar ou abrir demais as mãos.

Conforme novo relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), o volume de areia e cascalho usado a cada ano chega a 50 bilhões de toneladas – volume suficiente para “construir uma parede de 27 metros de largura e 27 de altura em volta de todo o planeta Terra.” Sendo um recurso estratégico, a extração e uso devem ser repensados por todos os setores envolvidos.

Entre as soluções apontadas pelo relatório, estão alterações legais, a reciclagem de materiais de construção e o uso de pedras britadas e areia de minério, resultante da mineração.

Crédito: Divulgação


Pingo d’água

* Água boa para lavar calçada é a da chuva. Não desperdice.

* Cada habitante do Vale do Taquari produz, em média, 174 kg de lixo por ano.

* Vêm por aí a Jornada Técnica Ambiental e o Seminário Ambiental Viva o Taquari-Antas Vivo.


Acompanhe nossas redes sociais: Instagram / Facebook.