Profissionais da UPA de Lajeado participarão de capacitação do Ministério da Saúde

Saúde

Profissionais da UPA de Lajeado participarão de capacitação do Ministério da Saúde

Com investimento de R$ 14 milhões, governo federal quer qualificar 10 mil funcionários em atendimentos de urgência cardiovascular

Por

Profissionais da UPA de Lajeado participarão de capacitação do Ministério da Saúde
Em Lajeado, UPA tem concentrado atendimento de casos suspeitos. (Foto: Arquivo A Hora/ Mateus Souza)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Lajeado, foi uma das escolhidas para participar do programa “SOS de Ponta”, lançado em 18 de outubro pelo Ministério da Saúde. A iniciativa promete capacitar 10 mil profissionais que atuam em urgências e emergências a atendimentos cardiovasculares.

“O Programa prevê a criação de centros de capacitação permanente em todo o país. O objetivo é fortalecer a atuação do Sistema Único de Saúde (SUS) nas respostas às situações de catástrofes, urgências e emergências dentro das unidades públicas de saúde. A qualificação e valorização desses profissionais vão possibilitar abordagem de excelência aos pacientes críticos”, diz o Ministério da Saúde, em nota.

O projeto é uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital do Coração (HCor), de São Paulo, que acontece por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), com acompanhamento de 13 meses nas unidades selecionadas.

De acordo com a gerente de Urgência e Emergência da Fundação Univates, responsável pela UPA de Lajeado, as boas práticas da instituição foram fundamentais para a escolha.

“Fomos indicados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-RS) em razão dos índices de qualificação do atendimento realizado aqui em Lajeado. Somos uma UPA qualificada, conforme a avaliação trianual mais recente do Ministério da Saúde, realizada em agosto”.

Para a gestora, a população da cidade e de áreas do entorno ganha com a seleção da UPA para participar do projeto. “Já temos protocolos para os atendimentos cardiovasculares e, com essa qualificação adicional, podemos estar ainda melhor preparados para os casos de atendimento nessa linha de cuidado”.

Acompanhe
nossas
redes sociais