Aeródromo de Estrela

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Aeródromo de Estrela

Por

Lajeado
Gustavo Adolfo 2 - Lateral vertical - Final vertical

O uso do Aeródromo Regional de Estrela para o tráfico de drogas é o assunto da semana. As averiguações conduzidas pelo Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc) do RS surpreenderam líderes regionais e até mesmo os usuários mais antigos do espaço localizado em Linha São José, a poucos metros da ERS-129, e a alguns poucos quilômetros da BR-386. Ao mesmo tempo, muitas pessoas não estranharam a estratégia dos agentes do crime para transportar cocaína. Afinal, a pista é boa e o espaço carece de controle e segurança.

Aeródromo de Estrela II

A área do aeródromo regional não possui guardas noturnos e tampouco diurnos. É uma área pública vulnerável, um tanto isolada, e o cercamento é pífio para inibir eventuais atos ilícitos no local. Aliás, o aeródromo ainda funciona de forma pouco capacitada. Não há controle efetivo do tráfego aéreo e, conforme verificado junto ao próprio Governo de Estrela, quatro dos seis hangares eram utilizados sem o devido contrato. Ou seja, e mesmo com todos os avanços verificados ao longo dos últimos anos em relação ao aeródromo (e não foram poucos), o poder público ainda deixa a desejar.

Aeródromo de Estrela III

Não se trata de encontrar culpados, claro. Isso é tarefa policial. E o Executivo municipal tem demonstrado empenho para “profissionalizar” o Aeródromo Regional. Hoje, além de outros detalhes técnicos e estruturais, a briga é pela pavimentação e pelo prolongamento da pista de pouso e decolagem. Com isso, será possível ampliar também o tamanho das aeronaves que utilizam o espaço e, capacitar o controle do tráfego e, assim, recriar um eficiente modal viário para todo o Vale do Taquari. Porém, o processo é lento, não depende só do município, e ontem comprovou ser crucial.

Aulas presenciais

Na segunda-feira, CPERS, Associação de Mães e Pais pela Democracia e do Governo do Estado enfim selaram um acordo sobre o retorno ao ensino presencial no Estado. A Juíza de Direito Dulce Ana Oppitz, Coordenadora do CEJUSC-POA, conduziu a reunião. Os termos acordados incluem a busca pela ampliação da testagem da comunidade escolar, a tentativa de tentar manter junto à União as remessas exclusivas de vacinas para esse público, a divulgação dos critérios e a fiscalização para o controle sanitário nas escolas, o fornecimento de máscaras de proteção, informações sobre suspensão de atividades diante de casos suspeitos e confirmados, além de canais de denúncias.

Vacinação

Em Lajeado, o vereador Sergio Kniphoff (PT) pediu e a Secretaria da Saúde informou que no dia 22 de agosto o município concluiu o plano de imunização por faixas etárias contra a covid-19 com mais de 90% de vacinação do público-alvo. Ainda de acordo com o poder público, e considerando dados do IBGE para 2021, a população de Lajeado acima de 18 anos é de 66.520 pessoas, e foram aplicadas 60.044 doses, entre primeira dose e dose única, o que representa 90,26% desta população.

Vinícolas e turismo

O Vale do Taquari já é destaque no Estado com suas poucas vinícolas “gourmetizadas”. Há muitos bons exemplos em Colinas, principalmente, mas pouco a pouco o negócio tem se expandido para outras localidades. Em Teutônia, por exemplo, está prevista a construção de um nobre espaço em uma área de 20 hectares, muito próximo ao acesso a um dos principais pontos turísticos da região: a Lagoa da Harmonia. A “novidade” é um ingrediente e tanto para o desenvolvimento e a consolidação do turismo regional.

Galpão do A Hora

A Semana Farroupilha vai servir como um divisor de águas da pandemia na região. A programação, com shows, encontros, oficinas e afins tem levado um pouco mais de normalidade a milhares de pessoas que, desde março de 2020, vivem sob a tensão gerada pelos efeitos e as notícias referentes ao novo coronavírus (que já pode ser chamado de velho). E o Grupo A Hora embarcou nesta onda positivista e tem feito do acampamento armado no Parque dos Dick, em Lajeado, uma extensão dos estúdios da Rádio A Hora. E gostamos da experiência. Em outubro, também estaremos instalados nos ambientes da 7ª Multifeira, em Estrela.