Prefeitos INTERNADOS

opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Prefeitos INTERNADOS

Por

Vale do Taquari
Imec - Lateral vertical - Final vertical

Agravou o quadro de saúde do prefeito de Estrela, Elmar Schneider (PTB). Ele estava internado no hospital local desde sábado e, ontem, precisou ser transferido para o Divina Providência, em Porto Alegre. O gestor permanecia consciente, mas com o pulmão bastante comprometido. Estava utilizando um cateter nasal de alto fluxo para tentar frear a necessidade de uma intubação e consequente internação na UTI. No fim do dia, o clima era de muita apreensão entre amigos, colegas e correligionários.

Já o prefeito de Encantado, Adroaldo Conzatti (PSDB), segue internado na UTI do Hospital Bruno Born, em Lajeado. Além do quadro preocupante de covid-19, ele também se recupera de uma cirurgia na cabeça, consequência de uma queda sofrida na semana passada. As situações geram muita apreensão no Vale. Alguns posicionamentos da Amvat foram protelados em razão do quadro. Os prefeitos estão entre os políticos mais experientes da região e a comoção é grande.

Consórcio de vacinas

Nesta semana, as Câmaras de Vereadores de Lajeado e Teutônia aprovaram leis para autorizar os respectivos municípios a participarem de consórcio nacional de prefeituras para a compra de vacinas contra a covid-19. O mesmo fora feito por outras câmaras regionais, e serve como um plano B, caso o governo federal não cumpra o Plano Nacional de Vacinação.

Acordos

O governo de Arroio do Meio segue realizando trocas de servidores com municípios vizinhos, uma prática comum entre administrações municipais e até entre diferentes entes federativos.

A primeira troca envolveu o ex-prefeito, Klaus Schnack, que é engenheiro concursado na prefeitura local e foi cedido para atuar na Prefeitura de Encantado.

Desta vez, porém, será a vez do executivo arroio-meense receber, a pedido, um servidor que atua em Lajeado. Trata-se da professora Juliane Bruxel.

Empresário preso

Em Ribeirão Preto (SP), o caso do comerciante Eduardo Cornélio, preso após a abrir sua loja durante uma espécie de lockdown naquele município, ganhou forte repercussão nas redes sociais. Nessa quarta-feira, o juiz Giovani Augusto Serra Azul Guimarães mandou soltar o “criminoso”. Antes disso, porém, o Ministério Público local pediu que a prisão em flagrante fosse convertida para preventiva porque o suspeito “descumpriu regras sanitárias e incitou outros comerciantes a adotarem as mesmas ações”. Coube à Defensoria Pública pedir a liberdade provisória do comerciante. Quem diria…

ANISTIA

Em Lajeado, o vereador Éder Spohr (MDB) encaminhou requerimento ao poder Executivo, solicitando o envio de um anteprojeto de lei que “proponha a isenção de tributos, taxas, anistia de multas e encargos às empresas impedidas de trabalharem durante a fase de Bandeira Preta”.

Jiu Jitsu

O presidente da Câmara de Lajeado encaminha requerimento ao Executivo para solicitar à Secretaria da Cultura, Esporte e Lazer (SECEL) a contratação de um professor de Jiu Jitsu. O objetivo é “dar sequência ao projeto piloto para atendimento às crianças carentes do Bairro Cohab de Moinhos.”

Lockdown x Salário

O prefeito da cidade de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB), tomou uma atitude um tanto inusitada. Ele foi às redes sociais anunciar a implementação de um lockdown “voluntário” na prefeitura local. Mas com um detalhe: quem aderir, ficará sem remuneração referente ao período afastado. “Só lembrando: é um lockdown sem remuneração. Não quer vir trabalhar? Não tem problema. Quer se cuidar? Ótimo. Vai ficar em casa, mas não vai receber salário. É muito fácil pedir ‘lockdown’, ‘lockdown’, ‘lockdown’ quando a geladeira está cheia e o salário garantido”, afirmou. Hoje, Criciúma tem 1.167 casos ativos de coronavírus e 295 mortes causadas pela doença desde março de 2020.

NOVA PONTE

Os vereadores de Teutônia aprovaram o projeto de lei que autoriza a abertura de Crédito Adicional Especial no valor de R$ 327 mil. São despesas que não possuíam dotação específica na Lei Orçamentária Anual de 2021. E entre os investimentos previstos está a construção de uma nova ponte no bairro Teutônia, mais precisamente no Loteamento Follmer. Durante a sessão plenária, o vereador Claudiomir de Souza (PSL) pediu vistas à proposta, mas o pedido foi rejeitado pela maioria e a matéria foi à votação, sendo aprovada posteriormente.

E a Nova Zelândia?

A Nova Zelândia é exemplo de combate à pandemia. São 4,8 milhões de habitantes e apenas 26 mortes desde o início deste pesadelo. O exemplo da Nova Zelândia comprova que a imensa maioria dos países tinha pouca ou nenhuma chance de escapar dessa tragédia. Sem fronteiras terrestres, a Nova Zelândia fez o que a imensa maioria dos gestores gostaria de ter feito para frear o avanço do temido vírus: controlou e monitorou, de forma minuciosa, a entrada de pessoas em suas pequenas e distantes ilhas. Algo impensável para o Brasil e seus 15,7 mil quilômetros de fronteiras terrestres.