Reconstrução da ponte na 386 levará até seis meses

Bloqueio na BR-386

Reconstrução da ponte na 386 levará até seis meses

Danos na estrutura sobre o Arroio Boa Vista obrigam reconstrução da ponte onde caminhão com combustível tombou e explodiu. CCR aguarda parecer técnico até terça-feira para possível liberação da pista no sentido interior - capital

Por

Atualizado segunda-feira,
15 de Março de 2021 às 13:53

Reconstrução da ponte na 386 levará até seis meses
Hoje pela manhã equipes de engenharia da concessionária fizeram análises sobre estrutura da ponte (Foto: Alto Lopes)
Vale do Taquari
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

A análise do setor de engenharia da CCR Viasul, responsável pela concessão da BR-386, indicam que os danos estruturais na ponte sobre o Arroio Boa Vista impossibilitam o trânsito no trecho onde um caminhão tanque, carregado de combustível, tombou e explodiu. O motorista de 36 anos morreu.

Quanto à interrupção, por meio de nota, a empresa informa que aguarda os resultados da avaliação da estrutura feita pelas equipes de especialistas de engenharia da empresa. “As avaliações foram feitas por meio de ensaios visuais, ensaios com corpos de prova e testes de carga da ponte, realizadas na pista sentido Sul (quem segue para Porto Alegre).”

Tais resultados devem ser divulgados até amanhã e definirão sobre a eventual liberação do tráfego de veículos leves no local, no sistema de fluxo e contrafluxo (pista simples). O tráfego de veículos pesados (caminhões e ônibus) deverá ser liberado posteriormente às ações de reparos estruturais, que já foram identificados e definidos pela CCR ViaSul, incluindo o reforço de um dos pilares da estrutura no sentido Sul. A previsão para que isso aconteça é de dez dias, a contar desta terça. Por hora, os desvios pela RS-287 permanecem.

Trecho do acidente interrompido

Em relação à ponte na pista sentido Norte (quem segue para o interior do Estado), as equipes de especialistas já identificaram danos estruturais, os quais serão necessárias obras de reconstrução. O prazo estimado para a conclusão dessas ações é de até seis meses, quando da liberação total do tráfego no local.

A CCR ViaSul instituiu um comitê de crise envolvendo especialistas em obras de arte (pontes e viadutos), com o objetivo de identificar a solução de engenharia mais eficaz e célere, diz a nota da concessionária.

“Nesse comitê ainda estão sendo abordados assuntos como sinalização e canalização, logística de socorro médico e mecânico da Concessionária, comunicação junto aos públicos (site, 0800, painéis de mensagens e notícias), bem como apoio às demais entidades e órgãos envolvidos.”

A sinalização no local foi reforçada com painéis eletrônicos móveis de mensagens de forma a melhor orientar os usuários que utilizam o trajeto. Todas as ações implementadas pela Concessionária, bem como as opções de rotas foram definidas em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF/RS).

 

Leia mais em: