Futebol na pandemia: manter ou não?

opinião

Caetano Pretto

Caetano Pretto

Jornalista

Colunista esportivo.

Futebol na pandemia: manter ou não?

Por

Vale do Taquari
Tudo na Hora 2 - Lateral vertical - Final vertical

A CBF divulgou na manhã de quarta-feira, 10, um relatório da efetividade do protocolo de segurança e combate ao coronavírus e defendeu a continuidade dos campeonatos nacionais, organizados pela entidade. Em meio ao auge da pandemia no Brasil, voltou a discussão sobre a continuidade ou não do futebol.

São vários os pontos e ângulos na discussão. Quem é a favor da continuidade diz que não houveram muitos casos entre os clubes, que os profissionais da área são constantemente testados e passam por uma bateria de exames médicos. Há quem diga inclusive que o futebol é necessário para manter as pessoas em casa em meio à um momento tão difícil.

Do outro lado, estão as pessoas que são contra a prática do futebol. O Brasil vive o pico da pandemia, com números diários de morte batendo na casa dos 2 mil brasileiros. Os contrários ao futebol dizem não ver sentido em manter os jogos em meio à esse cenário.

É uma discussão longe de ter um certo e errado. Os dois lados apontam seus argumentos. Eu, particularmente, tendo a ficar mais do lado da opinião de que o futebol não é necessário atualmente.

Que não tivemos tantos casos entre os atletas até pode ser. Mas como ficará o continente agora, com início de Copa do Brasil e disputas na Copa Libertadores. Exemplifico com os times gaúchos. O Grêmio não poderá jogar no Peru contra o Ayacucho pois o governo peruano não permitiu a entrada de brasileiros no país. Já na Copa do Brasil, o Ypiranga terá de se deslocar até o Amazonas para encarar o Peñarol.

Não vejo como necessário e fundamental a prática destes jogos. Não há clima para estas competições. Parece que o futebol está sendo usado como política do pão e circo para o brasileiro tentar esquecer a realidade em que se encontra.