Amvat aceita fim da cogestão e adota regras da bandeira preta

Coronavírus

Amvat aceita fim da cogestão e adota regras da bandeira preta

Novos protocolos iniciam neste sábado. Após reunião com governador Eduardo Leite, entidade emitiu nota com o posicionamento regional

Por

Amvat aceita fim da cogestão e adota regras da bandeira preta
Nota é assinada pelo prefeito de Santa Clara e presidente da entidade, Paulo Kohlrausch. Foto: Arquivo A Hora/ Laura Mallmann
CRON Previne - Lateral vertical - Final vertical

Governo do estado esteve, na tarde desta quinta-feira, 25, reunido com os presidentes das associações dos municípios do Rio Grande do Sul.

Às 16h, prefeitos do Vale do Taquari inciaram encontro e repercutiram, em nota, que acatará ao fim da gestão compartilhada, entre Estado e municípios, para o modelo de Distanciamento Controlado.

Confira a nota na íntegra:

Diante do agravamento da situação do Coronavírus no Vale do Taquari, sobretudo o significativo aumento no número de casos confirmados e a superlotação das instituições de saúde, os prefeitos que integram a Amvat definiram de forma unânime, em assembleia virtual realizada na tarde desta quinta-feira, dia 25, que vão acatar a determinação do Governo do Estado de suspender o modelo de cogestão e adotar os protocolos de bandeira preta no período entre 27 de fevereiro e 7 de março.

Embora entenda que o problema não esteja na atuação dos setores econômicos nem nas escolas, mas sim nas aglomerações e eventos clandestinos, a Amvat está ciente do momento caótico vivenciado em nível regional e estadual e percebe a importância da colaboração de todos para enfrentar a situação atual.

Além disso, os prefeitos decidiram intensificar ainda mais a fiscalização em seus municípios, com o apoio das forças de segurança, principalmente nos períodos da noite e fins de semana, quando ocorre a maior parte das aglomerações e descumprimentos das medidas de prevenção.

Da mesma forma, a Amvat solicitou ao Governo do Estado a inclusão dos profissionais da educação nos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19, além de uma maior agilidade no processo de vacinação, inclusive colocando a entidade à disposição do Estado em caso de necessidade de compra de vacinas.

Paulo Cezar Kohlrausch

Presidente da Amvat