opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

Um réquiem ao Centro Antigo

Por

Vale do Taquari

“Ô guri, passa lá para tomar um cafezi­nho”. “Ô piá, manda um abraço para o pai”. “Ô guri, vamos agitar isso aí”. Pô, “Seu” Ítalo. Que notícia triste o Grupo A Hora e todos os principais veículos de comunicação foram obrigados a repassar ao povo do Vale do Taquari no início da tarde dessa quinta-feira. Que notícia difícil, “Seu” Ítalo. O senhor era daqueles atiçadores que pareciam eternos na comunidade lajeadense. Sempre disposto. Sempre provo­cativo, proativo e sensato. Sempre com aquela alegria de viver. Bah, que notícia difícil, Seu Ítalo. Que notícia difícil…

Meu contato com “Seu Ítalo” começou tardiamente, quando o insistente “jovem” encabeçou e idealizou o Comitê do Centro Histórico. Nascido em Bento Gonçalves, ele escolheu Lajeado e escolheu a região do centro an­tigo. “Pode escrever aí: eu sou do ‘Cantão’, mesmo.” Ele resolveu lutar, literalmente, pela recu­peração de uma das áreas mais nobres da nossa cidade. E lutou. Ele uniu os seus interesses com os interesses da comunidade e lutou. Sempre de forma voluntária.

Faz alguns anos o “Seu” Ítalo passou a frequentar com ainda mais fervor os ambientes da Câ­mara de Lajeado. À moda antiga, anotava as queixas no papel. O papel comunitário lhe rendeu um convite para participar do atual governo de Marcelo Caumo (PP), tendo sido um dedicado interlo­cutor entre os anseios de situacio­nistas, opositores e comunidade. Errou e acertou. Acertou e errou. Durante a vida, cultivou amigos e outros nem tão amigos assim. Uma característica de quem, acima de tudo, não se omite.

É minha a foto deste texto. Neste encontro, ele fez questão de mostrar o quadro da casa onde viveu sua infância, na beira do Rio Taquari. Durante a entrevista – que sempre se transformava em um instigante, prazeroso e prolongado bate-papo –, ele estava emocionado com a pos­sibilidade de ser condecorado com o título de “Cidadão Lajeadense”. Discreto, apesar do radioso espaço já conquistado na sociedade, ele parecia não ter noção da própria im­portância. Mas no fundo ele sabia.

Enfim. A vida é assim. E o nosso próximo cafezinho vai ficar para uma outra hora, “Seu” Ítalo. Des­canse em paz!


Cota de Gênero

O caso da candidata sem votos do PSB será analisado pelo Ministério Público Eleitoral. Há duas versões para o fato. De um lado, a postu­lante sem votos diz que foi enganada pelo parti­do, e que não autorizou a própria candidatura. A direção da sigla rechaça as acusações e garante que possui todas as provas de que tudo foi devidamente acordado entre as partes. Sem entrar no mérito deste fato, é necessário debater melhor sobre a cota de gênero, que exige 30% de mulheres na disputa.

Está comprovado, e não é de hoje, que a grande maioria dos partidos possui uma larga dificuldade para preencher esse percentual mínimo. Basta verificar o site do TSE e perceber que a grande maioria dos municípios registrou mulheres com votações muito inexpressivas. Muito inexpressivas, mesmo. No Vale, há casos em La­jeado, Estrela, Taquari, Cruzeiro do Sul, entre outros. Infelizmente, o caminho trilhado pelas cotas abre mar­gem para uma série de problemas no pleito eleitoral.

É notícia, também, em âmbito nacional. Com base nos dados do TSE, foram verificados mais de cinco mil candidatos sem votos em 29 siglas. O recordista é o PSD, com 305 postulantes. Desse montante, são 202 mulheres, ou 66% do total. Na 2ª colocação aparece o MDB, com 300 candidatos sem votos, dos quais 193 eram mulheres (64%). A maior média está no PTC, com 161 candidatos sem votos, sendo 117 mulheres (73%). Outras siglas, como o DEM, o PL, e o PTB, atingiram média de 71%.


Correção!

Diferentemente do que foi publicado ontem, o vereador reeleito Fabiano Bergmann (PP) não assumiu a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos de Lajeado em 2017. “Medonho”, como é popularmente conheci­do, assumiu como secretário em abril de 2018 e permaneceu até março de 2020. Antes e depois, o cargo foi/é exercido por Cas­siano Jung.


Menos assessores

Em Lajeado, além dos novos vereadores Alex Schmit (PP) e Heitor Hoppe (PP), os dois novos tucanos, Paulo Thomas (PSDB) e Márcio Dal Cin (PSDB), também anunciam a intenção de utilizar apenas um Assessor Parlamentar. Hoje todos os vereadores têm direito a dois assessores. E não está descartada uma nova lei para restringir o limite a um só assessor. Inclusive com apoio do MDB.


Sob o mesmo teto

Uma situação curiosa em Arroio do Meio. O atual prefeito Klaus Werner Sch­nack (MDB) é engenheiro concursado da prefeitura e, a partir do dia 1º de janeiro, ele entrega a cadeira para o até então adversário Danilo Bruxel (PP) e volta a atuar na antiga função pública.