Conteúdo Patrocinado

Saúde: uma consequência de escolhas e hábitos de vida

Campanha Novembro Azul incentiva a adoção de práticas saudáveis e cuidados especiais para melhorar a rotina do homem

Apresentado por

Hábitos saudáveis e acompanhamento médico preventivo são os caminhos para o envelhecimento com qualidade de vida. Tais atitudes devem ser adotadas por todos, tanto homens quanto mulheres. No entanto, sabe-se que o sexo masculino não possui o costume de ir com frequência ao médico. Por isso, durante o penúltimo mês do ano, a campanha Novembro Azul busca conscientizar a respeito da necessidade de cuidados especiais com a saúde integral do homem.

Uma das principais doenças abordadas no Novembro Azul é o câncer de próstata. No Brasil, este é o tumor mais frequente entre os homens, excluindo-se o câncer de pele não-melanoma. Segundo a médica oncologista do Centro Regional de Oncologia (CRON), Dra. Camila Dagostim Jeremias, estimam-se que, anualmente, sejam registrados mais de 60 mil novos casos da doença no país.

“A região sul apresenta-se com uma das maiores taxas de diagnóstico da doença. De acordo com estatísticas americanas, um em cada seis homens desenvolverá câncer de próstata ao longo da vida”, explica a oncologista.

As pesquisas médicas também mostram que o risco de desenvolver o tumor aumenta com a idade. Por isso, recomenda-se que, mesmo na ausência de sintomas, os homens procurem o médico urologista a partir dos 45 anos de idade. Quando há histórico familiar da doença, o ideal é que o acompanhamento inicie mais cedo, já aos 40 anos.

“O melhor caminho para o combate as doenças, incluindo o câncer, ainda é a prevenção e o diagnóstico precoce”, afirma Dra. Camila. Não se cuidar, nem mesmo realizar os exames que podem detectar os tumores em fases iniciais, é um verdadeiro tabu. “Cuidar da saúde é função de todos. A detecção precoce do câncer de próstata salva vidas”.

Pequenas mudanças, grandes feitos

Adotar práticas saudáveis, como manter a alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos, é fundamental para que o corpo se mantenha forte e não desenvolva algumas doenças. “Já se sabe que o excesso de peso, somados a hábitos alimentares ruins e sedentarismo são fatores de risco, tanto para alguns tipos de câncer quanto para a evolução destes”, explica a nutricionista do CRON, Luisa Arruda.

O consumo correto e suficiente de nutrientes pode auxiliar no equilíbrio da saúde, afinal, alguns alimentos podem ajudar a proteger o corpo. Para tanto, a nutricionista recomenda uma dieta rica em alimentos in natura, especialmente os de origem vegetal ou minimamente processados, como frutas, legumes, verduras, cereais integrais e feijões. “Evite alimentos processados e ultraprocessados, como aqueles prontos para consumir, e bebidas açucaradas. Além disso, não coma em excesso gordura animal, açúcares e álcool”.

É importante destacar que o estado nutricional também influencia diretamente nos resultados do tratamento oncológico. Por isso, Luisa frisa que o acompanhamento com nutricionista é extremamente importante e objetiva previnir a desnutrição, melhorar a qualidade de vida do paciente e reduzir o número de complicações. “Um corpo mais saudável tem muito mais chances de suportar as dificuldades do tratamento e combater a doença”.