Economia

China suspende importações da Minuano

Conforme o Mapa, decisão é temporária e tem relação ao surto de coronavírus na indústria. No país, são quatro empresas com restrições

Por

China suspende importações da Minuano
Suspensão das exportações foram confirmadas pelo Ministério da Agricultura (foto: Arquivo A Hora)
Vale do Taquari
Eleições 2020

A Administração Geral de Alfandêgas da China (GACC, na sigla em inglês) atualizou a lista de frigoríficos autorizados a exportar para o país. O documento oficializa a suspensão temporária de abatedouros brasileiros. Entre eles está a Minuano alimentos de Lajeado.

Além da empresa da região, a decisão atinge a JBS de Passo Fundo, o abatedouro de bovinos Angra, de Rondonópolis (MT) e a unidade Marfrig de Várzea Grande (MT). A suspensão ocorre como uma medida preventiva do próprio Ministério da Agricultura (Mapa), em meio aos esforços chineses para evitar uma segunda onda de contaminação de covid-19 no país.

Embora não existam evidências de que os alimentos transmitam o vírus, as autoridades chinesas pediram os países que exportam carne para seu mercado suspendam empresas com casos da doença entre funcionários. A Minuano Alimentos preferiu não se pronunciar sobre o assunto.

Conforme informações da Secretaria da Fazenda de Lajeado, a indústria está na 4ª posição em termos de arrecadação aos cofres públicos. Alcançou em 2019 o montante de R$ 2,5 milhões em ICMS para Lajeado. O total corresponde a 6% do imposto gerado por empresas da cidade.

A contaminação por coronavírus entre funcionários da empresa atingiu o pico entre o fim de abril e início de maio. A Justiça chegou a interromper a produção por duas semanas.