opinião

Amanda Cantú

Amanda Cantú

Jornalista

Colunista do caderno Você

Cancelem a cultura do cancelamento

Por

Vale do Taquari

Você já leu o título desta coluna antes. Calma, não estamos repetindo um texto. Você com certeza já viu esta frase antes, mas em algum lugar nas redes sociais. A “cultura do cancelamento” foi eleita o termo do ano de 2019 pelo dicionário Macquarie, que seleciona as expressões que mais moldaram o comportamento humano durante aquele ano. Apesar da análise ser feita com palavras em inglês, a força das redes sociais é implacável quando se trata de uma tendência, então logo a expressão ganhou também a versão em português.

Você pode não se lembrar de ter lido sobre cultura do cancelamento, mas de certo se lembra do caso de uma influenciadora digital que nos últimos dias ganhou a atenção da mídia de um jeito ruim. Ela decidiu dar uma festa em sua casa para alguns amigos, e eles registraram tudo nas redes sociais, o que seria normal, se não estivéssemos no meio de uma pandemia, com orientação de ficarmos isolados. Óbvio que a situação pegou muito mal e ela foi “cancelada”.

A cultura do cancelamento é uma espécie de movimento, que tem força em especial nas redes sociais, e consiste em interromper o apoio, ou mesmo boicotar, um artista, uma marca ou uma personalidade pública, em função de atitudes consideradas inaceitáveis pelo público.

Mas se ela deu uma festa, contrariando as orientações das autoridades de saúde do mundo todo, por que não devemos cancelar? Afinal, o que ela fez foi inaceitável e colocou a vida de muita gente em risco.

Não devemos cancelar, nem ela e nem ninguém, porque a cultura do cancelamento não gera diálogo, não faz aprender. Logo, de nada serve. Sim, cancelar um influenciador fará com que ele perca contratos com marcas que o sustentam. Porém, isso faz com que ele reflita sobre suas ações?

Cancelar um cantor vai fazer com que ele tenha shows desmarcados, mas ele vai compreender que o que fez foi errado e não deve se repetir?

Antes de mais nada, famosos ainda são seres humanos, como você. Por trás de uma marca, há pessoas, como você. Você erra, fala besteira e até é preconceituoso, assim como eles. Ninguém nasceu desconstruído, lembra? Se você consegue avaliar suas atitudes e enxergar seus erros, é porque quando você errou, alguém não te cancelou e te ajudou a se desconstruir.

Quando alguém é cancelado, perde-se a oportunidade de fazer com que a pessoa compreenda – de verdade – a dimensão do seu erro. No caso de pessoas famosas, perde-se ainda a oportunidade de fazer com que seus fãs e seguidores, que concordam com a sua atitude, também compreendam que aquilo é errado.

E quando alguém não compreende o erro, certamente vai errar de novo.