Lajeado - Bairro Universitário

Casal Papai e Mamãe Noel conta a rotina de Natal

Com experiência de mais de dez anos como Papai Noel, Sérgio Ricardo atua na Aldeia do Papai Noel, no Parque Theobaldo Dick, desde a abertura do projeto no dia 25 de novembro. Neste ano, sua mulher, Ana Paula, estreia a personagem de Mamãe Noel

Por

Casal Papai e Mamãe Noel conta a rotina de Natal
Lajeado

Na mesa da cozinha, Ana Paula da Silva, 42, ajeita os últimos pontos de costura de uma das roupas de Papai Noel que o marido Sérgio Ricardo, 54, veste nas apresentações pela cidade. Ele já tem experiência de dez anos como o “bom velhinho”, mas Ana Paula estreia neste ano a personagem Mamãe Noel. “Tem sido muito gratificante este duplo casamento: a Ana e o Sérgio e o Papai e a Mamãe Noel”, brinca.

Eles se apresentam desde o dia 25 de novembro na Aldeia do Papai Noel, no Parque dos Dicks, das 19h às 22h30min. Recebem crianças e ouvem de perto os pedidos delas até a véspera de Natal.

“Teve uma criança que me pediu materiais escolares de presente de Natal”, conta Ana Paula emocionada. “Normalmente as crianças sonham com outras coisas, isso deveriam ser um direito delas. É muito triste”, diz com os olhos cheios de lágrimas.

O Papai Noel

Faz 10 anos que, sempre que chega setembro, Sérgio Ricardo deixa a barba crescer. A primeira vez em que se vestiu de Noel, há uma década, foi em Cachoeira do Sul, depois de uma sugestão de um colega de trabalho da Corsan. A ideia era fazer uma doação de brinquedos para entidades sociais. Desde então, todo ano ele volta a Cachoeira do Sul e cumpre o mesmo ritual solidário.

“Para ser um bom Papai Noel é preciso ter barba branca e uma boa barriga. Isso eu tenho naturalmente. Além disso, é preciso gostar de crianças”, comenta.

Segundo Sérgio, desde aquele momento em que fez seu primeiro ato voluntário como Papai Noel, percebeu a importância do Natal de uma forma diferente.

“Além da confraternização, passei a ser responsável por ouvir os sonhos das crianças e os pedidos genuínos que elas fazem nesta data – tais como felicidade, paz e até mesmo livros”, diz.

Ana Paula e Sérgio Ricardo, o Papai e a Mamãe Noel na Aldeia do Papai Noel

Ana Paula e Sérgio Ricardo, o Papai e a Mamãe Noel na Aldeia do Papai Noel

A Mamãe Noel

Depois de uma década acompanhando o marido como Papai Noel, este ano Ana Paula decidiu fazer diferente. A ideia surgiu quando foi questionada por uma amiga em um salão de beleza sobre o que faria no Natal com o marido.

“Sempre dirigia o carro para ele, ajudava na fantasia e acompanhava de perto Sergio como Papai Noel. Aí parei e pensei, neste ano vou ser a Mamãe Noel”, relata.

Embora esteja há poucos dias como a personagem, ela diz já saber qual será a reação das crianças ao chegaram para falar com eles na Aldeia do Papai Noel.

“Acho que a presença feminina tira um pouco dos medos das crianças”, diz.

Espírito natalino

Para o Papai Noel Sérgio, uma das maiores magias do Natal está em “deixar as crianças serem crianças”.

“Às vezes tem crianças que não acreditam mais em Papai Noel, mas quando vêm no meu colo eu peço para que puxem minha barba e digo ‘está vendo, sou de verdade’”.

Diferente de outras gerações, Sérgio acredita que as crianças de hoje têm mais oportunidades de vivenciar o espírito natalino.

“Muitos de nós, adultos, tivemos compromissos que nos fizeram ser crianças-adultas e, assim, pulamos essa fase tão doce da vida.”


Nos detalhes

Na casa do casal, o espírito natalino faz parte da decoração em cada detalhe


Longe do Polo Norte

Diferente do frio do Polo Norte, o Natal no Vale é caracterizado pelo calor com a chegada do verão, no dia 21. Ao se vestir de Papai e Mamãe Noel, o casal conta que torce para ter ar-condicionado no local que visitarem.

“Hoje os tecidos são um pouco menos pesados. Mas, de fato, realmente é muito calor usar a fantasia”, conta Ana Paula.

rodape_PAGINA-FIXA_23-10-01

Cristiano Duarte: cristiano@jornalahora.inf.br