opinião

Raquel Winter

Raquel Winter

Professora e consultora executiva

Dia D

Por

Todos nós temos ao longo da nossa vida alguns dias que são dias “D”. Dia de dar certo. Dia de fazer acontecer. Dia de conhecer o amor da nossa vida. Dia de virar a página. Dia de cometer a maior mancada. Dia de dar um novo rumo para os próximos dias.
Um dia D não deveria, mas geralmente passa por nós desapercebido. Pode ser um dia discreto, aparentemente comum. Gosto de “brincar de caçar os dias D” da minha vida. Evidentemente que não importam as datas propriamente ditas, mas saber, trazer à consciência, quais foram os movimentos que aconteceram e que de alguma forma me conduziram aos próximos e importantes acontecimentos.
É muito bacana, é algo parecido com causa e efeito. Por exemplo, podemos imaginar que o casamento é um dia D na vida de todas pessoas. Errado. O casamento é o efeito. O efeito pode ser um acontecimento super especial, mas não necessariamente um dia D.
Nesse exemplo, o dia D deve ser investigado na historia que conduziu ao dito casório. Pode ter sido, por exemplo, aquele dia que você saiu de casa apressada e foi trabalhar e que chegou em casa à tardinha morta de fome e então deu de cara com um geladeira vazia. E daí?
Daí você saiu em busca de uma padaria que ainda estivesse aberta e, depois de rodar algumas quadras, encontrou uma que ainda tinha pães quentes para vender.
Chegando na padaria, pediu seus pães e, quando foi pagá-los, se deu conta que não tinha nenhum bendito centavo na carteira. O moço que estava atrás de você na fila do caixa, gentilmente, decidiu te pagar os R$ 5,45. Você, faminta, aceita, mas afirma que é só um empréstimo e combina um local para devolver a grana no dia seguinte.
Tá, eu trouxe a história até aqui. Daqui para frente, você imagina como quiser até que chegue ao dito casamento. Entendeu? O Dia D foi aquele em que você foi até a tal padaria sem dinheiro na carteira.
Impressionante como ficamos surpresos quando nos damos conta que aquele dia sem graça, dissimulado, que se fez de sonso todo tempo, pode impactar para todo o sempre. Dias D são mesmo assim.