Novo mínimo estadual é de R$ 610

Notícia

Novo mínimo estadual é de R$ 610

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Aprovado na quinta-feira, o aumento de 11,6% no salário mí­nimo regional eleva o piso do Rio Grande do Sul para R$ 610. Segundo nota do Poder Público, este é o maior aumen­to registrado desde 2001.

A definição do mínimo que ocorre em cada estado tem por base o valor nacional, fi­xado em R$ 545 nesta semana. A partir de abril os reajustes se incorporam à receita men­sal de mais de 47 milhões de pessoas no país. No estado, 1,2 milhão de trabalhadores serão beneficiados.

salarioAposentados e demais benefici­ários do Instituto Nacional de Se­guridade Social (INSS) não terão direito ao aumento, pois sua base salarial é o mínimo do país.

Cíntia Agostini, economista do Conselho de Desenvolvimen­to do Vale do Taquari (Codevat), diz que o ganho real será de 5%, em função da inflação de 6% registrada no ano passado.

“O mercado vive um bom momento e não acredito que haverá demissões em função do custo extra para as empre­sas”, diz. Ela acredita que o dinheiro a mais no fim do mês será absorvido principalmen­te pelas áreas de eletroeletrô­nicos, móveis e alimentação.

Segundo Cíntia, o preço da cesta básica não será afetado de forma preocupante, assim como os valores de financiamentos e outras linhas de crédito ofere­cidas pelo Poder Público – sua base de cálculo para juros não é relacionada ao mínimo.

De acordo com o projeto aprovado pelo governo do es­tado, as faixas de remuneração gaúchas ficam em R$ 610; R$ 624,05; R$ 638,20 e R$ 663,40. A economista diz que essas ca­tegorias se relacionam a quali­ficação, tempo de experiência e a função do trabalhador e são utilizadas principalmente no setor industrial.

Do acordo com dados do site Infomoney, as federações pa­tronais são contrárias à exis­tência de um mínimo estadu­al porque entendem que ele retira a competitividade das empresas em relação às con­correntes de outras regiões. O mínimo estadual é aplica­do às categorias que não têm seus salários negociados entre sindicatos de trabalhadores e empresários.

“O aumento ajudará. Cada nota de R$ 10 a mais no bolso é impor­tante para os trabalha­dores. Investirei o dinhei­ro extra na compra de meus remédios”.

Lurdes da Silva, Lajeado

“Gasto em torno de R$ 700 no super­mercado por mês. Cada R$ 10 ou R$ 20 são bem vindos em nosso orçamento doméstico”.

Vaine Belin, Lajeado