Andres suspende atividade e será vendida

Notícia

Andres suspende atividade e será vendida

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Depois de 55 anos, a Andres– Indústria e Metalúrgica, que localiza-se no bairro Boa União, está com as atividades suspensas. Conforme o diretor comercial, Jorge Andres, os 57 funcionários foram indeniza­dos, e as negociações para a venda do complexo estão qua­se finalizadas. Por enquanto, ele prefere manter sigilo sobre o nome do interessado e qual seu município.

O patrimônio da Andres está calculado em R$ 4 milhões, sen­do R$ 1,9 milhão só a estrutura física, sem o maquinário. Entre os produtos fabricados estão os baldes metálicos, calhas e churrasqueiras portáteis. No fim de 2009, o setor de fabricação de chaminés foi vendido para a Venax, de Venâncio Aires.

Conhecida por ser uma empresa familiar, a Andres é administrada por quatro irmãos – Luiz, José, Jorge e Daniel – que assumiram os negócios do pai, Victor An­dres, em 1980. A justificativa para a venda é a falta de uma nova geração para administrar. “Quando sentimos que não haveria continuidade, toma­mos a decisão, mas a empresa não será extinta, alguém dará seguimento”, garante o diretor comercial. Dos nove netos do fundador, que seriam os próxi­mos a gerenciar os negócios, a maioria mora no exterior e o restante não tem interesse.

Andres admite que a deci­são foi difícil, mas necessária, visto que a sociedade de quatro irmãos estava no comando há 30 anos, enquanto o ciclo normal para uma geração é de 25. “O mercado é dinâmico, as novas gerações têm que entrar, senão acaba a empresa”, opina.

andres

Participação na economia do município

Por anos, a empresa ocupou o décimo lugar na lista de das que geram mais retorno de ICMS ao município. Jorge e Luiz Andres chegaram a pre­sidir a Associação Comercial e Industrial de Estrela (Acie). No ano de 1994, a Andres recebeu o prêmio de empresa do ano da Acie.

“O encerramento das ati­vidades é uma perda para o município, pois era um empreendimento que gerava empregos e impostos”, diz o presidente da Acie, Henrique Purper . Ele espera que os sócios tenham sucesso nas negociações e que os tra­balhos no complexo sejam reativados brevemente.

“Eu vou parar com a empresa”

A Andres foi o primeiro emprego de Eulália Becker Delwing, 53 anos. Ela co­meçou a trabalhar em 1973, aos 16 anos, como ajudante de escritório. Eulália diz que acompanhou o crescimento da empresa e após estudar e se qualificar na área fi­nanceira, recebeu o convite para assumir a contabilidade em 1979.

Ela diz que foi inevitável a tristeza ao receber a no­tícia da venda da Andres. Como está aposentada, ela não pretende procurar outro emprego. “Eu vou parar com a empresa”, declara a contadora.

Como nasceu a indústria

Natural de Cruzeiro do Sul, Victor Andres trabalhou anos na Metalúrgica Cruzeiro. Após mudar-se para Estrela, fundou em 1955 uma pequena empresa de funilaria. O empreendimento cresceu e em 1980 seus quatro filhos assumiram os negócios em sociedade. Com ideias inovadoras, eles fizeram com que a empresa fosse uma das primeiras da região a ser informatizada, em 1988. Victor faleceu em 1996.