Sobe para 15 o número de casos confirmados de leptospirose no Vale

REGIÃO EM ALERTA

Sobe para 15 o número de casos confirmados de leptospirose no Vale

Transmissão ocorre por meio do contato com urina de animais contaminados com a doença, em especial, roedore

Por

Sobe para 15 o número de casos confirmados de leptospirose no Vale
Doença infecciosa febril é transmitida, em especial, após períodos de cheias. Na região, há dois óbitos confirmados e um em investigação
Vale do Taquari

A Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul confirmou a oitava morte por leptospirose relacionada à enchente no estado. No Vale do Taquari, são dois óbitos pela doença, em Venâncio Aires e Travesseiro. Uma morte segue em investigação pela 16ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS).

Ao todo, são 15 casos confirmados de leptospirose na região, além de 131 suspeitos. O maior número de pacientes se concentra em Travesseiro, com quatro casos confirmados.

Em todo o estado, ainda há outras 12 mortes em investigação. No RS, foram notificados 2.548 casos da doença, sendo 148 deles (5,8%) confirmados.

Contágio e tratamento

A leptospirose é uma doença infecciosa febril transmitida pelo contato com a urina de animais infectados, principalmente roedores, pela bactéria leptospira. A contaminação pode ocorrer em qualquer época do ano, mas as chances de contágio são maiores quando há inundações, enxurradas e lama.

Se houver algum ferimento ou arranhão, a bactéria penetra com mais facilidade no organismo humano. É importante que residentes em locais mais atingidos pela chuva adotem cuidados, como usar calçados ao caminhar em áreas alagadas, evitar qualquer tipo de contato com roedores – os principais transmissores – e lavar bem os alimentos.

A doença pode levar até 30 dias para se desenvolver, mas, geralmente, os sintomas começam entre o sétimo e o décimo quarto dia após a exposição. Quem teve contato com água potencialmente contaminada e apresentar febre, dor de cabeça, dor no corpo (principalmente nas panturrilhas), vômitos, pele amarelada (em casos mais graves), deve procurar um serviço de saúde.

O tratamento pode ser feito em qualquer unidade básica de saúde dos municípios e deve ser iniciado, preferencialmente, até o quinto dia após a apresentação dos primeiros sintomas.

Ainda, nos locais invadidos por água de chuva, recomenda-se fazer a desinfecção do ambiente, utilizando um copo de água sanitária para um balde de 20 litros de água.

Manter os alimentos guardados em recipientes bem fechados, manter a cozinha limpa sem restos de alimentos, retirar as sobras de alimentos ou ração de animais domésticos antes do anoitecer, manter o terreno limpo e evitar entulhos e acúmulo de objetos nos quintais ajudam a evitar a presença de roedores. A luz solar também ajuda a matar a bactéria.

Casos na região

  • Arroio do Meio
    Suspeitos: 2
    Confirmados: 2
  • Boqueirão do Leão
    Suspeitos: 1
  • Colinas
    Suspeitos: 10
  • Cruzeiro do Sul
    Suspeitos: 11
  • Encantado
    Suspeitos: 9
    Confirmados: 1
  • Estrela
    Suspeitos:18
    Confirmados: 2
  • Lajeado
    Suspeitos: 37
    Confirmados: 2
  • Poço das Antas
    Suspeitos: 1
  • Roca Sales
    Suspeitos: 22
  • Santa Clara do Sul
    Suspeitos: 1
  • Taquari
    Suspeitos: 10
    Confirmados: 2
  • Teutônia
    Suspeitos: 7
    Confirmados: 2
  • Travesseiro
    Confirmados: 4
    Óbitos: 1
  • Westfália
    Suspeitos: 2
  • Venâncio Aires
    Óbitos: 1

Acompanhe
nossas
redes sociais