Bicentenário da Imigração valoriza origens e influências

ESTRELA

Bicentenário da Imigração valoriza origens e influências

Programação especial apresentada nessa sexta-feira, 23, marca série de eventos ao longo de 2024. Expectativa é evidenciar costumes vividos no dia a dia a exaltar eventos tradicionais, como o Festival do Chucrute

Por

Bicentenário da Imigração valoriza origens e influências
Festival do Chucrute ocorre em 18 e 26 de maio. Evento de lançamento está previsto para 9 de março . (ARQUIVO)
Estrela

Com programação especial, Estrela celebra o Bicentenário da Imigração Alemã no Brasil. Eventos tradicionais e novas iniciativas resgatam as raízes da cultura germânica com atividades que se estendem até dezembro. A abertura do calendário oficial foi marcada por um coquetel festivo nessa sexta-feira, 23, no Lar do Jovem.

Apresentações dos Grupos Folclóricos, lançamento de novos trajes típicos, divulgação do calendário alusivo aos 60 anos dos grupos de dança e detalhamento da programação especial introduziram a comunidade às festividades previstas em 2024.

O objetivo do calendário é destacar a influência da cultura germânica nos dias atuais por meio de atividades cotidianas, eventos conhecidos pela comunidade e novas iniciativas. Coordenador dos 200 Anos da Imigração Alemã em Estrela, Andréas Hamester afirma que será uma período para resgatar e conhecer tradições deixadas pelos imigrantes.

O coordenador comenta que a comunidade em Estrela vivência diversas manifestações relacionadas aos costumes germânicos. “Temos festas típicas, evidenciamos a gastronomia e as danças. São tradições dos nossos antepassados. Faz parte do nosso cotidiano preservar esses ensinamentos. Por isso queremos valorizar essa parte tão bonita da nossa história”, diz Hamester.

Aspectos ligados a turismo, educação, literatura, arquitetura, história, culinária, religiosidade e vida rural serão trabalhados por meio de concursos de fotografia e redação, rodas de conversas e espetáculos que envolvem a participação da comunidade. Para Andréas, a celebração também se torna uma oportunidade para que mais pessoas conheçam os costumes existentes na cidade.

“É importante que as pessoas saibam de onde elas vieram, o motivo de elas serem do jeito que são, o porquê de nossas cidades serem tão bonitas. São hábitos trazidos pelos imigrantes. Também queremos ressaltar situações que a população talvez não saiba que exista. Serão milhares de pessoas vivendo essa tradição durante o ano todo”, comemora Andréas.

Ênfase na história

Além de estabelecer a proximidade da população com os costumes germânicos, o projeto busca enfatizar a construção histórica desde o momento em que os imigrantes chegaram ao Brasil, em 25 de julho de 1824. Para isso, o secretário de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer e professor de História, Joel Mallmann, vai retratar o caminho percorrido pelos alemães em forma de artigos.

“Precisamos que as pessoas conheçam os fatos para que entendam como temos esses costumes. Somos influenciados por essa cultura. Vamos resgatar a história para compreender como se formou nossa gente, porque os descentes e vieram e o que encontraram aqui”, comenta Mallmann.

Novas iniciativas

  • Páscoa será contada sob a ótica das origens alemãs em Estrela. Com direção de Pablo Capalonga, o espetáculo “Tempo de Esperança” reúne teatro, canto coral, instrumentos e danças no Centro Cultural Celso Brönstrup em 27 de março.
  • A praça Henrique Roolart também será cenário da comemoração. Neste ano o monumento será decorado pelas crianças da rede municipal de ensino e por participantes do Grupo de Apoio e Convivência do Idoso Estrelense (Gracie).
  • Maibaum no centro da cidade. O monumento, uma árvore que terá dez metros de altura, traz ilustrações e recortes das principais movimentações típicas no município.
  • O tradicional Festival do Chucrute reúne milhares de pessoas todos os anos. Os bailes estão previstos para os dias 18 e 26 de maio. Antes disso, em 9 de março será o evento de lançamento.

Acompanhe
nossas
redes sociais