Câmara de Roca Sales abre 2024 com CPI e acusação de racismo na pauta

APÓS RECESSO

Câmara de Roca Sales abre 2024 com CPI e acusação de racismo na pauta

Ações do prefeito sobre possível desleixo com doações e frase de cunho racista proferida por vereador serão analisadas nas primeiras sessões

Por

Atualizado quinta-feira,
04 de Janeiro de 2024 às 16:24

Câmara de Roca Sales abre 2024 com CPI e acusação de racismo na pauta
Jaquisele Santos (MDB) não descarta candidatura ao Executivo em 2024 (Foto: Arquivo A Hora)
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Mesmo sem ter comandado sequer uma sessão, a nova presidente da Câmara de Vereadores de Roca Sales já sabe que terá uma gestão marcada por debates polêmicos e que podem mudar o rumo da cidade. Aos 38 anos, Jaquisele Dos Santos (MDB) assumiu o comando do Legislativo pela primeira na carreira política e caberá a ela conduzir ao menos duas definições logo após o fim do recesso.

Um dos impasses é a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) solicitada por um morador local e aceita pelos vereadores que vai apurar a conduta do prefeito Amilton Fontana no caso de doações da enchente de setembro que foram armazenadas em um local atingido pela enchente menos de dois meses depois; também foi questionado o critério do governo na distribuição dos donativos como comidas, móveis, roupas e outros materiais.

O outro caso é sobre a fala de Antônio Valesan (PTB), conhecido como Pegari, que em uma das últimas sessões do ano proferiu a frase “serviço de gente branca” durante manifestação na tribuna. O caso ganhou repercussão até mesmo fora do estado.

“Fiquei chateada pelo modo que ele falou, fiquei triste. Ele se explicou dizendo que estava estressado por tudo que ocorreu em 2023, mas toda população está. São situações que precisam ser definidas logo nas primeiras sessões do ano”, justifica.

LEIA TAMBÉM: Pedido de CPI é oficializado para investigar prefeito de Roca Sales

Eleições, sede e reconstrução da cidade

Além das polêmicas, existem outras definições importantes que passam pelo Legislativo. Entre elas está a reconstrução da cidade atingida pelas enchentes. Estão abrigadas em um ginásio seis famílias que aguardavam a conclusão de casas em um loteamento. Os vereadores discutem ao longo de 2024 mudanças no plano diretor e aprovações de recursos para área habitacional.

A sede do Legislativo foi atingida pela enchente e com isso foi necessário mudar a casa para a Rua 31 de Março, na entrada do loteamento Morada do Sol, de forma emergencial. Como o novo espaço fica distante da prefeitura e outros locais, a presidente pretende debater uma mudança definitiva para um local livre de ser invadido pela água, porém mais próximo da área central.

Sobre as eleições de 2024, Jaquisele confirma o interesse em seguir na vida pública, seja na Câmara ou até no Executivo. “Estamos em conversas. Coloquei meu nome à disposição, penso nisso sim, mas não tem nada definido”, complementa a emedebista, eleita com 326 votos.

Assista a entrevista na íntegra

Acompanhe
nossas
redes sociais