“A humildade nos traz a oportunidade de aprender”

LAJEADO

“A humildade nos traz a oportunidade de aprender”

Sócios proprietários da Energia Própria, Guederson Maciel e Isaque Volnei Kraemer contam a trajetória da empresa durante o programa O Meu Negócio

Por

“A humildade nos traz a oportunidade de aprender”
Sócios da empresa, Maciel e o sogro Kraemer dividem a vida e os negócios em família. (Foto: DEIVID TIRP)
Lajeado
Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Empresa com 10 anos de experiência no mercado, a Energia Própria se consolida com mais de 5 mil projetos de energia solar executados. A corporação foi criada por Guederson Maciel e pelo sogro Isaque Volnei Kraemer, que participaram do programa O Meu Negócio, da rádio A Hora 102.9, na segunda-feira, 4.

Com funcionamento em Arroio do Meio, a empresa se destaca por ter sido a primeira a aprovar um projeto da área no Rio Grande do Sul. Hoje, a instituição também oferece um programa para desenvolvimento de credenciados e entrou de vez na distribuição de tecnologia fotovoltaica.

Kraemer cresceu em Marques de Souza e trabalhava com jardinagem. Maciel nasceu em Lajeado e passou a infância em Arroio do Meio. Apesar de origens diferentes, eles se encontraram em família e se dão bem dentro e fora da empresa. A ideia de criar o negócio foi de Maciel, que empreende desde jovem quando, aos 12 anos, já tinha uma locadora de videogame.

A Energia Própria surgiu anos mais tarde, a partir de uma necessidade. “Fiquei sem luz lá em casa, e a ideia de gerar energia própria me fascinou. Me apaixonei por isso e fui atrás”. Hoje, a empresa trabalha em diferentes segmentos da área, como armazém e distribuição; Segurança após a compra; e Desenvolvimento, com uma equipe própria de projetos somada à tecnologia de ponta, com a utilização de softwares, drones e computadores de alto desempenho. Assim, é possível a execução dos projetos com precisão elevada.

No dia a dia de trabalho, os sócios acreditam que a humildade é fundamental. “A humildade nos traz a oportunidade de aprender”, destaca Maciel.

Dica de livro

Novos caminhos, novas escolhas – Abilio Diniz
Abilio Diniz passou por diversos tipos de experiências. Como empresário, construiu a maior rede varejista brasileira, o Grupo Pão de Açúcar. Enfrentou crises pessoais e profissionais, foi sequestrado e, no momento certo, deu a volta por
cima. Neste livro, ele narra, pela primeira vez, suas lutas recentes e os novos caminhos que descobriu nos últimos anos.

 

 

 

ENTREVISTA

GUEDERSON MACIEL E ISAQUE VOLNEI KRAEMER • Sócios da Energia Própria

“É preciso trazer algo novo para o mercado”

Rogério Wink – Como é traba- lhar com o sogro, em família?

Kraemer – A gente sempre deu muito certo, trocamos ideias, sempre teve transparência, confiança.
Maciel – Na empresa ele é meu sócio, fora da empresa ele é meu sogro. Mas na tomada de decisões a gente precisa ser profissionais.

Wink – O que vocês gostam mais no trabalho?

Maciel – Eu faço a negociação lá fora. Todo nosso material é importado. Eu sou o cara que cria uma coisa nova. Tem que arriscar. E quando tem uma vitória, todo mundo conquista junto, mas quando tem uma derrota, tem que aguentar junto também. Hoje, como qualquer empresa, tu tem que estar criando, investindo, e isso me traz satisfação. É preciso
pesquisar por produtos, tecnologias novas, e estar trazendo algo novo para o mercado.

Wink – Como era o mercado há 10 anos, quando começaram?

Maciel – Não tinha mercado, parâmetro para pedir orçamento. A gente era um dos únicos. O primeiro projeto aprovado em concessionárias gaúchas foi nosso. Tinha outras empresas, mas o primeiro projeto aprovado era nosso. Na época não tinha concorrência significativa para que a gente pudesse comparar um orçamento. Era difícil. Energia era um produto novo no mercado, que ninguém conhecia. Era uma época que o preço da energia era muito barato.

Wink – O que inspirou vocês a começarem o negócio e entrarem nesse ramo?

Maciel – Eu fiquei sem luz lá em casa, e a ideia de gerar energia própria acho que fascina qualquer um. Eu me apaixonei
por isso e fui atrás. Então criei um site e vendia painéis solares. O primeiro cliente foi de Santa Catarina, depois fizemos um primeiro projeto aqui. Na época, um engenheiro nos ajudou. Então fui para São Paulo em uma feira internacional. Chegando lá, ninguém falava portugues, era alemão, inglês e espanhol, fomos nos virando. Peguei o contato de um empresário chinês e fiquei falando com o cara pelo WhatsApp. Um mês depois, ele voltaria para São Paulo e combinamos de nos encontrar. Compramos até hoje desta empresa.

Wink – O que evoluíram em termos de importação?

Maciel – Na época, já tinha alguns benefícios fiscais, hoje tem mais. O preço baixou 100% em relação há 10 anos. O processo de importação passa por um processo de fiscalização, tem que ter uma empresa apta para isso, tem que ter uma licença. A tecnologia avançou incrivelmente. O modelo hoje é duas vezes mais eficiente. A mesma placa, hoje, gera o dobro, com tecnologias avançadas, sistemas elétricos avançados. É um mercado em crescimento.

Wink – Existe uma possibilidade de evolução no mercado? Telhas, sistemas de baterias, como este setor está evoluindo, hoje, em termos de tecnologias?

Maciel – Hoje, a gente tem um sistema que contempla também uma bateria de lítio, uma bateria inteligente, com vida útil de 15 anos, que quando falta luz, ela liga automaticamente, sem dar para perceber que faltou luz. Ainda, funciona de maneira que alivia a carga da rua.

Acompanhe
nossas
redes sociais