Com prazo no fim, projetos  polêmicos avançam na câmara

política e cidadania

Com prazo no fim, projetos polêmicos avançam na câmara

Representantes do Governo demonstram otimismo sobre a criação da guarda armada e orçamento de 2024. Proposta para alargamento de ruas segue travada com mais três sessões até o final do ano

Por

Com prazo no fim, projetos  polêmicos avançam na câmara
Agentes de trânsito acompanharam debate do projeto da guarda na reunião das comissões ontem pela manhã. (Henrique Pedersini)
Lajeado

O último mês do ano é de definições acerca dos projetos polêmicos na câmara. O principal deles é a instituição da guarda armada municipal. O texto ingressa na pauta da sessão nesta terça-feira, 5, pela primeira vez desde que foi encaminhado ao Legislativo. Com obrigatoriedade de votação ainda em 2023, o orçamento de 2024 também será analisado nesta semana. Com mais três reuniões até o recesso, os representantes do Governo reforçam as articulações políticas para terem sucesso nas duas propostas encaminhadas pelo Executivo.

Não existe consenso entre os vereadores sobre a guarda. O texto tramita na câmara desde julho, com 15 emendas protocoladas. Entre as proposições estão requisitos para participar do processo de seleção dos agentes, obrigatoriedade de qualificações e até inclusão de câmeras e equipamento de GPS. Algumas das sugestões receberam parecer de ilegalidade do setor jurídico da casa.

O líder de governo, Mozart Lopes (PP), confia na aprovação do projeto e valoriza avanços nos debates desde julho. “Estamos tentando agilizar a votação pela chegada do prazo final. Tivemos tempo para emendas, elas foram analisadas pelo jurídico e o plenário que decida se a proposta passa ou não”, comenta.

Agentes de trânsito

Cerca de 20 agentes assistiram a reunião das comissões nessa segunda-feira, 4, acompanhados do Secretário de Segurança Pública, Paulo Locatelli e o Coordenador de Trânsito, Vinícius Renner. O grupo chegou a aplaudir a manifestação de Heitor Hoppe (PP). “A emenda é um direito do vereador, mas eu entendo que já deveria estar aprovado. Perdemos tempo! Eu defendo o projeto”, reiterou.

Lorival Silveira (PP) é contrário a proposta. O integrante da bancada de situação justifica que existem investimentos mais importantes a serem feitos com recursos públicos. “Iluminação pública também faz parte da segurança e em Lajeado este serviço é péssimo. A guarda é importante, mas acho que precisa ficar em segundo plano”, analisa.

O Governo sugere que a guarda tenha 48 guardas. Os 33 profissionais do departamento de trânsito poderão fazer o curso de habilitação e, em caso de aprovação, assumirão a nova função. Já as outras 15 vagas serão preenchidas via concurso público. Os profissionais farão treinamento específico para habilitação ao uso de arma. O impacto anual é estimado em R$ 1,5 milhão aos cofres públicos em 2024 com salários e encargos, além de equipamentos e qualificação dos agentes.

Orçamento para 2024

A expectativa é que também avance nesta semana a previsão de orçamento de Lajeado para 2024, com uma estimativa de arrecadação e limite de despesas fixado em R$ 598,5 milhões.

Na última semana, vereadores pediram que o Executivo considerasse desconto no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para famílias que residem em áreas atingidas pela enchente.

Com relação a arrecadação do município, outro projeto encaminhado pelo Executivo fixa o juro pelo parcelamento do IPTU em 1% ao mês. Após tratativas, a alíquota foi reduzida para 0,5%. A medida será votada até o final do ano.

Alargamento de ruas

Após reuniões na câmara, há o entendimento que a legislação elaborada em conjunto com o Sinduscom-VT deva integrar o plano diretor do município. Caso o texto não seja votado em 2023, será preciso solicitar o desarquivamento para que a proposta volte a tramitar no próximo ano.

Acompanhe
nossas
redes sociais