E os teleféricos?

Opinião

Rodrigo Martini

Rodrigo Martini

Jornalista

Coluna aborda os bastidores da política regional e discussão de temas polêmicos

E os teleféricos?

Por

Gustavo Adolfo 03

Em agosto de 2021, o governo de Lajeado recebeu uma inusitada proposta de um investimento público-privado: uma linha com teleférico de 2,6 quilômetros para conectar o centro da cidade com a área central de Estrela.

À época, o projeto foi encaminhado pela empresa Leitner/POMA, responsável pela instalação do teleférico em Balneário Camboriú, na década de 90, e pelo modelo urbano do Rio de Janeiro. Em solo lajeadense, a previsão de investimentos girava em R$ 80 milhões.

A ideia era criar um modal urbano aliado aos apelos ambientais. A empresa trouxe como exemplos os teleféricos de Medellín, Cidade do México e Guayaquil. Em Lajeado, a proposta era instalar duas estações e 12 cabines para até seis pessoas. Para tal, a sugestão era unir operadores de ônibus intermunicipais, construtores e investidores por meio de road-show.

Dias depois, uma nova ideia propunha outro ponto para embarque e desembarque. Sairia da Casa do Morro, em Cruzeiro do Sul, e finalizaria a travessia sobre o Rio Taquari em Estrela. Até o momento nada saiu do papel. Mas, e em se tratando da terra do Cristo Protetor, é bom não duvidarmos.


A beleza e as lixeiras

Leitores atentos cobram mais ações do poder público de Lajeado. Eles querem mais lixeiras em pontos próximos aos rios. Como exemplos, a foz do Rio Forqueta, próximo à Ponte de Ferro, e também junto ao Porto dos Bruder e ao novo Parque Ney Arruda. Os locais costumam receber centenas e até milhares de pessoas a cada fim de semana. E a maioria dessas pessoas produz lixo e precisa de estruturas adequadas para o seu devido despejo. Isso é compromisso do próprio cidadão, é claro, mas o poder público precisa garantir o mínimo. No caso, as lixeiras.


O Vale na Federasul

O novo presidente da Federasul, Rodrigo Sousa Costa, assina o termo de posse no dia 16 de dezembro. Ele foi eleito por aclamação no dia 30 de novembro, durante a Assembleia Geral Ordinária (AGO) em votação híbrida, onde mais de 150 entidades participaram. A posse festiva será dia 7 de março. Com mandato de dois anos, que inicia em janeiro, a diretoria, renovada em 40%, terá 30% de mulheres na sua composição.

A região conta com quatro diretores regionais que foram indicados pelas associações comerciais locais do Vale do Taquari. São eles: Graciela Ethel Black, da Acil de Lajeado, Ana Paula Graciola, da ACIE-E Encantado, Fernando Fensterseifer, da Acisam Arroio do Meio  e Pablo Souto Palma, da Cacis Estrela. Além deles, o vice-presidente regional na Federasul, Renato Lauri Scheffler, representante da CIC Teutônia, permanece por mais dois anos.


É o fim do PSDB?

Lucas Redecker costuma ser muito ponderado e direto. Na sexta-feira, em entrevista exclusiva ao Grupo A Hora, o deputado federal reeleito e presidente estadual do PSDB foi muito duro com o próprio partido, cuja direção nacional será assumida pelo governador reeleito do RS, Eduardo Leite. Ele cobra uma reformulação geral, e citou a possibilidade de extinguir o histórico partido para a criação de outro, ou mesmo uma fusão com outras siglas. Sobre o momento de tensão na política nacional, ele nos brindou com uma frase do falecido pai, Júlio Redecker. “Quem ganha governa. Quem perde fiscaliza.” E “zé fini”.


Schneider ou Neymar?

A Câmara do Comércio, Indústria e Serviços de Estrela (Cacis) mudou a data original da reunião-almoço agendada com o prefeito estrelense, Elmar Schneider. O evento no Estrela Palace Hotel estava marcado para o dia 9 de dezembro, a partir das 11h45min, e foi antecipado para o dia 8.

Com isso, a conversa com o gestor não corre o risco de rivalizar com um provável jogo da seleção brasileira pelas quartas-de-final da Copa do Mundo. A partida está marcada para 12h do dia 9. Claro, desde que o Brasil passe pela Coreia do Sul.


TIRO CURTO

• O Ministério Público gaúcho realiza uma série de verificações junto às mais diversas comarcas para analisar a “implantação do Piso Nacional do Magistério na rede pública municipal”. Os procedimentos já foram instaurados em algumas cidades do Vale do Taquari.

• Ainda sobre o MP/RS, diversas promotorias de justiça verificam se a Lei 13.722/2018 foi regulamentada pelos municípios. É a chamada “Lei Lucas”, que obriga as escolas a se prepararem para atendimentos de primeiros socorros, e faz referência a Lucas Bigalli, um menino de apenas 10 anos que morreu devido a um sufocamento mecânico por alimento, durante um passeio escolar.

• Após zerar o número de casos ativos de Covid-19 no dia 9 de novembro, Lajeado voltou a registrar um aumento no número de contágios. Na quinta-feira, a cidade registrava 126 casos ativos. E a boa notícia: nenhum paciente internado no hospital.

• Conforme informações do Conselho Municipal de Turismo de Lajeado, o Centro de Atenção ao Turista (CAT), localizado no Parque Histórico, atendeu 175 pessoas nos quatro finais de semana de novembro. O pico foi nos dias 11, 12 e 13, quando o espaço recebeu 78 visitantes.

• A incipiente promessa de um “natal regional” que interligaria os festejos de Estrela e Lajeado ficou para um próximo ano. A ideia surgiu durante uma conversa entre a ex-Secretária de Cultura de Estrela, Carine Schwingel, e o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Lajeado, André Bücker.

Acompanhe
nossas
redes sociais