O empreendedor  amigo da  contabilidade

Opinião

Rogério Wink

Rogério Wink

O empreendedor amigo da contabilidade

Por

Gustavo Adolfo 1 - Lateral vertical - Final vertical

Tenho percebido duas situações fortes no mundo dos empreendedores. A primeira, são aqueles que tocam seus negócios a partir do seu conhecimento, técnica, assumem riscos e tem boa afinidade com a contabilidade. E a segunda, as mesmas habilidades nos seus empreendimentos, mas tem muitas dificuldades em compreender as informações vitais que a contabilidade mostra.

Entender as convenções contábeis, especialmente o “método de partidas dobradas”, onde não há débito sem crédito equivalente (origens e aplicações) e aprender a olhar para um balanço, demonstrativo de resultados de forma amigável para muitos é complexo. Eu tive a sorte de que meu professor no curso Técnico no CEAT, prof. Auram Terra, além de conhecer a técnica contábil veio do ambiente empresarial e ensinou um olhar gerencial, tornando a contabilidade acessível para a tomada de decisões.

Um pré-requisito para que o resultado final seja um espelho da realidade é que todos os atos e fatos que acontecem devem ser registrados, gerando utilidade e confiança. Olhar para um balanço como um demonstrativo econômico e financeiro faz a diferença. A contabilidade é na essência uma linguagem padronizada para ser utilizada no mundo dos negócios.

Se você não mantiver um acompanhamento sobre como vai a sua empresa, não saberá tomar as atitudes necessárias para melhorá-la.
Por exemplo o Balanço Patrimonial é uma boa fotografia, numa determinada data, do que a empresa ou organização tem, o que deve e o seu patrimônio.

No ATIVO entre outros dados constam seu dinheiro disponível (cx e bancos), os seus valores a receber (duplicatas e cartão de crédito por vendas realizadas…). Também estão ali os estoques das mercadorias para vendas ou matéria prima e seus bens utilizados no negócio, como máquinas, instalações, imóveis, móveis…

No PASSIVO estão registrados os compromissos que a empresa tem junto aos seus fornecedores, bancos, contas a pagar, as obrigações de impostos.
E o que fica desta equação é o PATRIMÔNIO LÍQUIDO, onde está registrado o capital que os sócios iniciaram o negócio e os resultados (lucros/prejuízos) acumulados ao longo dos exercícios.

Para completar, de forma bem simples, tem o Demonstrativo dos Resultados, que registra o movimento da empresa, desde suas RECEITAS (faturamento e rendas +), seus CUSTOS (mercadorias/matérias primas/MO -) suas DESPESAS (com salários, encargos, aluguéis, financeiras, vendas, as gerais de funcionamento e necessárias para a operação -…) e no final aparece o RESULTADO (desejado LL, o lucro líquido da operação. Sem ele a empresa não sobrevive). Um bom Contabilista sempre poderá lhe ajudar nesta amizade do empreendedor com a contabilidade.

Acompanhe
nossas
redes sociais