O melhor presente  é estar presente!

opinião

Jonas Ruckert

Jonas Ruckert

Diretor do Colégio Teutônia

Assuntos e temas do cotidiano

O melhor presente é estar presente!

Por

Imec - Lateral vertical - Final vertical

A temática de minha coluna, na condição de educador em escola comunitária, com todos os desafios que vivemos em tempos de pandemia, não pode ser outra que não faça referência ao Dia dos Pais. E quero trazer para o contexto a dimensão do pai avô, do pai padrinho, da mãe que é pai. O fato é: todos temos um pai. A triste realidade: nem todos os pais assumem suas paternidades. Oxalá todos tivessem, assim como eu, um pai presente e a imagem da paternidade espelhada positivamente em tantas outras pessoas, a exemplo do Seu Ivan Lagemann que há poucos dias nos deixou e a quem faço questão de referenciar.

Por mais que tente me desvincular da ideia que segue, não consigo escapar de um chavão que muito já usei. Ele diz: “mãe é essencial. Pai pode ser um diferencial! ” Tenho me debruçado sobre esta frase inúmeras vezes, dissecando suas possibilidades e buscando as mais diferentes concepções e interpretações. Em tempos de pandemia, quando tomamos as mais diferentes frentes em nossas casas, revezando funções e papéis, em uma ideia de “um por todos e todos por um” em meio a filhos, trabalho e atividades escolares domiciliares, instala-se também uma pandemia conceitual que já apresenta-se com diagnóstico bastante assertivo: famílias desestruturando-se!

A afirmação faço a partir das minhas vivências cotidianas. A partir de indicadores, a exemplo do consumo de energia elétrica residencial que, nos primeiros sete meses de 2020 foi 8,51% maior do que no mesmo período de 2019 na área de atuação da Cooperativa Certel e, possivelmente, não diferente nas demais concessionárias e permissionárias geradoras e distribuidoras de energia elétrica. Isso significa que há mais gente em maior número de horas nos lares. Significa que a ideia do melhor presente é estar presente poderia ser uma afirmativa!

De toda forma não o é. Então, apenas a título de sugestão, lanço a ideia com vistas ao Dia dos Pais com possibilidade para boas conversas, compartilhamento de histórias, de ouvirmos e nos inspirarmos em nossos avós, nossos bisavós que gerenciavam seus filhos em ambientes harmoniosos sem internet, spotfy, netflix, games, redes sociais e coisas mais. Faziam-se eles o presente?

A temática do título faz referência ao Dia dos Pais como também ao tempo. A todos os Pais, felicidades pela passagem da data. A vocês deixo algumas ideias que não são de minha autoria, mas sobre as quais me pego a pensar comumente quando me dou conta do tempo que em que me fiz ausente e que não volta mais.
“O tempo é como um rio. Você nunca vai tocar a mesma água duas vezes. ”

“Você ama a vida? Então não desperdice seu tempo, porque é disso que ela é feita. ”

Saúde a todos com ricas bênçãos de Deus na certeza de que o melhor presente é estar presente!